rss

Declaração da Cúpula Extraordinária do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) e os Estados Unidos da América

Español Español, العربية العربية, Français Français

CASA BRANCA
Gabinete do Secretário de Imprensa
PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA
23 de maio de 2017

  1. A convite do Guardião das Duas Mesquitas Sagradas, o rei Salman Bin Abdulaziz Al-Saud, os líderes do Conselho de Cooperação dos Estados Árabes do Golfo (CCG) e os Estados Unidos da América se reuniram em Riad, em 21 de maio de 2017, para reafirmar a parceria estratégica entre os dois lados.
  2. Durante a cúpula, questões regionais e internacionais de preocupação comum foram discutidas. As partes concordaram sobre a importância de esforços conjuntos para atingir a estabilidade, segurança e prosperidade.
  3. Os líderes avaliaram os significativos progressos atingidos desde a cúpula anterior, em abril de 2016, incluindo as medidas tomadas para aumentar a cooperação e aprofundar a parceria estratégica entre os dois lados.
  4. Os líderes expressaram seu compromisso de atacar as causas das crises no Oriente Médio, assim como o de tomar medidas mais urgentes para intensificar os esforços a fim de derrotar o Daesh (também conhecido como Estado Islâmico do Iraque e da Síria, ou ISIS, na sigla em inglês) e a Al-Qaeda, contrapor a interferência maligna no Irã, atenuar conflitos regionais e encontrar soluções para eles.
  5. Os líderes enfatizaram o fortalecimento da capacidade dos países do CCG de responderem às ameaças onde quer que elas tenham origem, confrontarem as atividades desestabilizantes do Irã e trabalharem juntos para reduzir o sectarismo e as tensões regionais que alimentam a instabilidade.
  6. Os líderes destacaram o acordo alcançado para estabelecer um Centro de Combate ao Financiamento do Terrorismo em Riad, que abrirá as portas ao ingresso de outros países no futuro.
  7. Os líderes avaliaram o efeito positivo dos grupos de trabalho conjunto formados para implementar os resultados da primeira reunião da Cúpula Golfo-EUA nas áreas de defesa contra mísseis balísticos, transferência de armas, treinamento e combate ao terrorismo, além do confronto à maligna interferência iraniana na região.
  8. Os líderes afirmaram o seu compromisso de continuar a estreita cooperação entre o CCG e os Estados Unidos em questões de preocupação mútua através de reuniões entre ministros das áreas de relações exteriores e defesa de ambos os lados.
  9. Os líderes orientaram os grupos de trabalho conjunto a se reunir pelo menos duas vezes por ano para acelerar a parceria a fim de combater o terrorismo e facilitar a transferência de capacidades de defesa sensíveis, a defesa contra mísseis balísticos, a prontidão militar e a segurança cibernética, entre outros, com o objetivo de assegurar a continuidade dessas atividades e acelerar a implementação das decisões contidas na declaração conjunta da segunda Cúpula Golfo-EUA em 21 de abril de 2016.
  10. Os líderes instruíram seus respectivos administradores a fortalecer suas estruturas de parceria, incluindo o “Fórum de Cooperação Estratégia CCG-EUA”.
  1. Os líderes enfatizaram seu interesse comum em preservar a segurança e a estabilidade na região e trabalhar juntos para confrontar todas as ameaças à segurança enfrentadas pelos países da região, incluindo as ameaças representadas pelas organizações terroristas.
  2. Os Estados Unidos reafirmaram seu compromisso com a segurança dos estados-membros do CCG contra ameaças externas. Os líderes prometeram aprofundar a cooperação em segurança e a responsabilidade compartilhada para responder às ameaças enfrentadas pela região. Os líderes discutiram uma visão comum para tratar dos conflitos mais preocupantes na região.
  3. Eles afirmaram o seu apoio a princípios comuns, incluindo o princípio de que não existe solução para conflitos civis armados na região, mas uma solução através de meios políticos, do respeito à soberania dos estados, da não interferência em seus assuntos internos, da necessidade de proteger as minorias e do respeito aos direitos humanos nos países assolados por conflitos.
  4. Os líderes renovaram a sua determinação de continuar os esforços conjuntos para combater o terrorismo, eliminar suas organizações, processar judicialmente seus membros e cortar suas fontes de financiamento.
  5. Eles também enfatizaram a importância de trabalharem juntos para confrontar ameaças terroristas e combater o financiamento do terrorismo com mais medidas, incluindo proteger as instalações de infraestrutura e aumentar a segurança nas fronteiras e na aviação. Os Estados Unidos avaliaram positivamente o estabelecimento da Aliança Militar Islâmica para Combater o Terrorismo, financiada pela Arábia Saudita, como parte da luta global contra o terrorismo.
  6. Os líderes elogiaram os esforços da Coalizão Global Contra o Estado Islâmico (ou Daesh) na Síria e no Iraque, liderada pelos Estados, e enfatizaram a necessidade de esforços conjuntos para fornecer assistência humanitária aos refugiados iraquianos e sírios e pessoas deslocadas pelo conflito.
  7. Os líderes expressaram a total rejeição à continuada interferência do Irã nos assuntos internos dos estados do CCG e da região e pediram o total cumprimento das regras da lei internacional e de seus pilares, fundamentos e princípios, que são baseados na boa vizinhança, no respeito à soberania dos estados e na abstenção da ameaça de uso da força. Eles pediram que Irã adote medidas concretas e práticas para construir confiança e resolver as suas diferenças com os vizinhos por meios pacíficos.
  8. Eles expressaram a sua condenação à interferência do Irã nos assuntos internos dos países da região, violando a soberania dos estados do CCG, e às suas tentativas de disseminar a divisão e fomentar a disputa sectária entre seus cidadãos, incluindo o Reino do Bahrein, ao apoiar extremistas violentos, treinar afiliados, contrabandear armas e explosivos, incitar a disputa sectária e fazer declarações em vários níveis para enfraquecer a segurança, a ordem e a estabilidade.
  9. Eles também enfatizaram a necessidade de o Irã cumprir o acordo nucelar e expressaram sua grande preocupação em relação ao continuado lançamento de mísseis balísticos pelo Irã, em um claro desacato às resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas.
  10. Os líderes se comprometeram a trabalhar juntos para atingir uma paz abrangente entre israelenses e palestinos. Os líderes concordaram em fazer tudo o que puderem para promover um ambiente propício à promoção da paz.
  1. Os líderes afirmaram sua posição de preservar a unidade, a estabilidade e a integridade territorial e expressaram seu apoio aos esforços do enviado do secretário geral da ONU para encontrar uma solução política baseada no Comunicado de Genebra 1 e na Resolução 2254 do Conselho de Segurança da ONU, além de enfatizar a necessidade de levantar o estado de sítio nas cidades sírias sitiadas, a oferta de ajuda humanitária às áreas afetadas e aos civis sitiados, a cessação dos bombardeios a áreas civis e a libertação de detidos.
  2. Os líderes afirmaram seu total compromisso com a unidade do Iêmen, o respeito à sua soberania e independência e a rejeição a qualquer interferência em seus assuntos internos. Também enfatizaram a importância de uma solução política de acordo com a Iniciativa do Golfo e seu mecanismo de execução e da implementação das decisões do Conselho de Segurança da ONU. Expressaram grande apreço pelos esforços do enviado especial da ONU para o Iêmen para retomar as consultas entre as partes iemenitas a fim de chegar a uma solução política.
  3. Os líderes afirmaram o seu compromisso de trabalhar com a comunidade internacional para impedir a contínua oferta de armas a milícias houthis e seus aliados. Também enfatizaram a necessidade de esforços coletivos para confrontar os afiliados da Al-Qaeda e do Daesh ou ISIS na Península Arábica.
  4. Os líderes expressaram sua preocupação com a continuidade do confisco, pela milícia houthi, de materiais humanitários e de ajuda, o que contribuiu para a deterioração da situação humanitária e econômica no Iêmen, e avaliaram positivamente os resultados da conferência de doadores realizada em Genebra em 25 de abril de 2017, enfatizando a necessidade de rápido cumprimento dos compromissos assumidos pelos países doadores. Os líderes esperam trabalhar juntos para restaurar a segurança e a estabilidade, reabilitar a economia iemenita e restaurar os serviços públicos após o alcance de uma solução política.
  5. Os líderes expressaram sua esperança de que o processo de liberar Mossul leve ao retorno das pessoas deslocadas a suas cidades e aldeias e de chegar a um processo de reforma política abrangente que reúna o povo iraquiano sem exclusão ou dispersão para atender às aspirações do povo iraquiano.
  6. Os líderes concordaram em fortalecer e apoiar as relações econômicas em vários campos, incluindo comércio e investimento, energia e energia alternativa, indústria, tecnologia, agricultura, transporte e desenvolvimento de infraestrutura, em linha com as visões de desenvolvimento adotadas pelos países do CCG.
  7. Os líderes concordaram em se reunir anualmente neste formato para avaliar o progresso obtido em todas as iniciativas decididas durante a reunião e examinar novas formas de fortalecer a Parceria Estratégia CCG-EUA.

###

 


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.