rss

Discurso de Abertura do Secretário de Estado, Rex Tillerson, diante da Comissão de Relações Exteriores do Senado

Español Español, العربية العربية, Français Français, Русский Русский

DEPARTAMENTO DE ESTADO DOS EUA
Gabinete da Porta-voz
13 de junho de 2017
Washington, D.C.

Presidente CORKER: Obrigado, Secretário, já que sei que o senhor acabou de fazer um anúncio, antes de começar seu discurso de abertura, você gostaria de prosseguir e compartilhar conosco o que acabou de ocorrer e, então, fazer seu discurso de abertura?

Secretário TILLERSON: Bem, alguns de vocês devem ter visto um release que foi emitido logo antes da minha chegada, anunciando que sob a direção do Presidente, o Departamento de Estado assegurou a libertação de Otto Warmbier, da Coréia do Norte. Ele está a caminho de casa, para se reunir com sua família. Continuamos nossas discussões com o regime norte-coreano sobre a libertação dos outros três cidadãos americanos que foram detidos. Não temos comentários sobre a condição de Warmbier, por respeito a ele e à sua família, e foi essa foi a declaração liberada.

Presidente CORKER: Muito bem. Bem, ouça, estamos ansiosos por seu comentário de abertura e perguntas. Mais uma vez, obrigado por estar aqui e você pode começar com isso, se puder. Obrigado.

Secretário TILLERSON: Obrigado, presidente Corker, membro do Comitê Cardin, ilustres membros do Comitê. Obrigado pela oportunidade de discutir a solicitação do Departamento de Estado e da USAID deste governo para o Ano Fiscal de 2018.

Como todos sabem, as vantagens competitivas globais e de liderança dos EUA estão sob constante desafio. Os dedicados homens e mulheres do Departamento de Estado e da USAID fizeram um trabalho importante e, por vezes, perigoso de promover o interesse dos Estados Unidos todos os dias, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano. Essa missão é inalterável.

No entanto, o Departamento de Estado e a USAID, como muitas outras instituições aqui e em todo o mundo, não têm evoluído em sua resposta tão rapidamente como os novos desafios e as ameaças à segurança nacional mudaram e estão mudando. Somos desafiados a responder a um mundo pós Guerra Fria, que põe em marcha a nova dinâmica global, e um mundo pós 11 de setembro, caracterizado pelas novas ameaças históricas que se apresentam em formas nunca antes vistas, habilitado por ferramentas tecnológicas que estamos mal preparados para lidar.

O século 21 já apresentou muitos desafios volúveis à segurança nacional dos EUA e à prosperidade econômica. Temos de desenvolver respostas proativas para proteger e promover o interesse do povo americano.

Com tamanha gama de ameaças que os Estados Unidos enfrentam, a solicitação de orçamento do Ano Fiscal de 2018 de US$ 37,6 bilhões alinha-se ao objetivo do governo de tornar a segurança dos Estados Unidos a nossa prioridade. A primeira responsabilidade do governo é a segurança de seus cidadãos e vamos orientar os nossos esforços diplomáticos para cumprir esse compromisso.

Enquanto nossa missão será também focada em fazer avançar o interesse econômico do povo americano, o foco principal do Departamento de Estado será proteger nossos cidadãos no país e no exterior. Nossa missão será sempre guiada por nossos valores de longa data de liberdade, democracia, liberdade individual e dignidade humana. A convicção dos fundadores do nosso país é duradoura: que todos os homens são dotados pelo criador com certos direitos inalienáveis. Como uma nação, mantemos alta a aspiração de que todos, um dia, vão experimentar a liberdade que conhecemos.

Na política externa do nosso jovem Governo, somos motivados pela convicção de que quanto mais nos envolvemos com outras nações em termos de segurança e prosperidade, mais teremos oportunidades para moldar as condições de direitos humanos dessas nações. A história mostrou que os EUA deixam uma pegada de liberdade onde quer que o país vá. Garantir a segurança e a prosperidade do povo americano e avançar nossos valores exige decisões difíceis em outras áreas do nosso orçamento.

O pedido de orçamento do Ano Fiscal de 2018 inclui o financiamento substancial para muitos programas de ajuda externa, sob os auspícios da USAID e do Departamento de Estado, mas fizemos escolhas difíceis para reduzir o financiamento de outras iniciativas. Mesmo com reduções no financiamento, vamos continuar a ser o líder em desenvolvimento internacional, saúde global, democracia e iniciativas de boa governança, bem como nos esforços humanitários. Se desastres naturais ou epidemias acontecerem no exterior, os EUA vão responder com o cuidado e apoio que sempre tiveram. E estou convencido de que podemos maximizar a eficácia desses programas e continuar a oferecer a ajuda dos EUA para o mundo.

Este pedido de orçamento também reflete um compromisso para garantir que cada dólar fiscal gasto esteja alinhado com os objetivos críticos da missão da USAID e do Departamento de Estado. A solicitação se concentrou nos esforços do Departamento de Estado e da USAID em missões que entregam o maior valor e as oportunidades de sucesso para o povo americano. O orçamento do Departamento de Estado e da USAID aumentaram em mais de 60% do Ano Fiscal de 2007, atingindo um recorde US$ 55,6 bilhões no Ano Fiscal de 2017. Reconhecendo que esta taxa de aumento do financiamento não é sustentável, a solicitação do orçamento do Ano Fiscal de 2018 procura alinhar as principais missões do Departamento de Estado aos níveis de financiamento históricos. Acreditamos que este orçamento também representa os interesses do povo americano, incluindo a gestão responsável do dinheiro do público.

Sei que há um interesse intenso em perspectiva no Departamento de Estado e na USAID em redesenhar os esforços. Nós acabamos de concluir a coleta de informações sobre nossos processos e culturas organizacionais através de uma pesquisa que foi disponibilizada para cada um dos nossos colegas do Departamento de Estado e da USAID. Mais de 35.000 inquéritos foram concluídos e também realizamos sessões de escuta pessoalmente com cerca de 300 indivíduos para obter suas perspectivas sobre o que fazemos e como fazemos. Eu me reuni pessoalmente com dezenas de membros da equipe que falaram abertamente sobre suas experiências. Dessas respostas, fomos capazes de obter uma visão geral mais clara da nossa organização.

Não temos nenhum resultado preconcebido e nossas discussões sobre os objetivos, prioridades e direção do Departamento de Estado e da USAID não são exercícios simbólicos. Os princípios de nossas sessões de escuta e subsequente avaliação de nossa organização são as mesmas que afirmei na minha audiência de confirmação: para nossa política externa. Vamos ver o mundo como ele é, ser honestos com nós mesmos e com o povo americano, seguir os fatos aonde nos levam e tornar nós mesmos e os outros responsáveis. Ainda estamos analisando as opiniões que recebemos e esperamos liberar as conclusões finais da pesquisa em breve.

De tudo isto, uma coisa é certa: estou ouvindo o que minha gente me diz sobre quais são os desafios que enfrentam e como podemos produzir um Departamento de Estado e uma USAID mais eficientes e eficazes. E vamos trabalhar em equipe e com o Congresso para melhorar ambas as organizações.

Em toda a minha carreira, eu jamais acreditei, nem experimentei, que o nível de financiamento dedicado a um objetivo é o fator mais importante para realizá-lo. Nosso orçamento nunca vai determinar nossa capacidade de sermos eficazes – será o nosso povo. Meus colegas do Departamento de Estado e da USAID são uma grande fonte de inspiração e seu patriotismo, profissionalismo e vontade de fazer sacrifícios para o nosso país são o nosso maior recurso.

Estou confiante de que o Departamento de Estado dos EUA e a USAID continuarão a apresentar resultados para o povo americano. Agradeço a você por seu tempo e fico feliz de responder suas perguntas agora.

# # #


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.