rss

Pronunciamentos Secretário de Estado Rex Tillerson e o Ministro das Relações Exteriores da Etiópia Workneh Gebeyehu em conferência de imprensa conjunta

English English, العربية العربية, Español Español

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete da Porta-voz
Para divulgação imediata
8 de março de 2018

 

Adis Abeba, Etiópia
**NÃO EDITADO/RASCUNHO**

MODERADOR: Juntos vamos receber os dois ministros das Relações Exteriores. Todos em pé, por favor? Muito obrigado. Ameseginalehu*. Sua Excelência o Dr. Workneh Gebeyehu, ministro das Relações Exteriores da República Federal Democrática da Etiópia; Sua Excelência o Sr. Rex Wayne Tillerson, Secretário de Estado dos Estados Unidos da América; embaixadores, ministros, tendo observado todos os protocolos, sejam bem-vindos a Adis Abeba, centro político e diplomático da África.

Conforme disse Sua Excelência o Ministro Tillerson, durante seu pronunciamento na Universidade George Mason, a África é parte do futuro. Trata-se de um continente onde 70 por cento da população é formada por jovens. Essa população, Vs. Exas., representa uma oportunidade e, também, um desafio. Etiópia, parceira da Organização das Nações Unidas (ONU) e dos EUA, a parceria com a mais longa duração no continente, creio que esta visita extraordinária aprofundará ainda mais os laços entre a Etiópia e os Estados Unidos, uma das relações diplomáticas mais antigas.

Conforme nossa programação, Sua Excelência o Dr. Workneh, e Sua Excelência o Sr. Rex Tillerson, ressaltarão os tópicos de suas discussões para a mídia, e então seguiremos com a sessão de perguntas dos canais da mídia. Canais da mídia, assegurem-se de que suas perguntas estejam preparadas. Caso tenham mais de uma, as duas autoridades perguntarão – responderão apenas a uma delas.

Muito obrigado. V.Exa. Dr. Workneh.

MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DR. WORKNEH: Muito obrigado. Obrigado. Boa tarde. Esse plenário está repleto. V.Exa. Sr. Rex Tillerson, Secretário de Estado dos Estados Unidos da América, estamos encantados pela sua presença, aqui nesta visitá à África, fazendo sua primeira escala aqui, em Adis Abeba. Os Estados Unidos e a Etiópia têm uma relação de um século, uma relação que, testada pelo tempo, permanece sempre firme.

Portanto, V. Exa., a sua vinda até aqui é uma prova desta relação robusta. Eu e Sua Excelência o Secretário, tivemos discussões bilaterais sobre uma lista extensiva de assuntos. Discutimos sobre nossos problemas regionais – a segurança regional. Assuntos internacionais, política internacional – e, ao mesmo tempo, sobre as formas de robustecer nossos laços econômicos e os investimentos entre os Estados Unidos da América e a Etiópia.

Tocamos em assuntos sobre o Sudão do Sul e a Somália, nos quais estamos trabalhando muito juntos. Também discutimos sobre outras preocupações muito importantes de segurança, que temos em comum. Além disso, eu expliquei sobre nossa situação a Sua Excelência, a situação do país, o processo de transição que está ocorrendo, e estamos muito agradecidos porque os Estados Unidos da América é um amigo íntimo, que – trabalha conosco em todos os aspectos, especialmente nas áreas econômicas. Portanto, são discussões muito cordiais, sinceras, e muito frutíferas. E muito obrigado, V.Exa.

SECRETARY TILLERSON: Bem, muito obrigado, V.Exa., pelas calorosas boas-vindas e pela hospitalidade. Acabamos de ter um almoço muito agradável, durante o qual pudemos continuar nossas discussões com vários dos membros das nossas delegações, o que sempre é muito valioso para que conquistemos um melhor entendimento entre um e outro. Gostaria também de dar as boas-vindas à mídia local e internacional que participam deste evento. Temos em alta estima a nossa parceria e, especialmente, durante uma fase tão crítica para a Etiópia. Estou ansioso também pela minha reunião com o primeiro-ministro, posteriormente, hoje.

Estou muito entusiasmado por estar na Etiópia. Esta é minha primeira visita oficial e, certamente, essa é uma escala importante, para que eu dê início à minha visita como Secretário de Estado ao continente, em grande parte por razão dos 100 anos de relação diplomática entre a Etiópia e os Estados Unidos. Esta tem sido uma relação duradoura; conforme citou o ministro das Relações Exteriores, uma relação imune a todas as intempéries, onde a amizade se mantém mesmo na presença de nuvens tempestuosas, sempre trabalhamos juntos para superar os desafios.

Quero mais uma vez reconhecer, hoje, que é o Dia Internacional das Mulheres e uma oportunidade para reconhecimento e comemoração das conquistas sociais, econômicas, culturais e políticas das mulheres no mundo todo; e, também, apontar para a função das mulheres na promoção do crescimento econômico da Etiópia. Fica muito evidente a proeminência que a mulher tem no governo, bem como na economia, no fortalecimento do Estado de Direito, e da importante função que elas desempenham em relação aos direitos humanos e no desenvolvimento e fortalecimento de uma sociedade civil próspera.

Como eu comentei, os Estados Unidos e a Etiópia são parceiros de longa data. Vejo com satisfação a oportunidade de trocar impressões – nas áreas de interesse mútuo que compartimos –, com o ministro das Relações Exteriores. Reconhecemos e compartimos as preocupações expressas pelo governo sobre os incidentes violentos e as perdas de vivas. Acreditamos que a solução esteja no oferecimento de mais, não menos, liberdade ao povo. Reconhecemos a transição pela qual passa a Etiópia, a primeira transferência voluntária de poder. Que eu vejo como um símbolo muito positivo da robustez desta democracia muito jovem na Etiópia, uma transferência pacífica de poder.

Considerando os eventos recentes, os Estados Unidos expressaram suas preocupações com a decisão do governo de impor um segundo estado de emergência, porque este impõe restrições aos direitos fundamentais, como o de assembleia pública e direito de expressão. Também discutimos, em nossa reunião, sobre a importância de garantir que as forças de segurança mantenham a disciplina durante a imposição da lei e da ordem, evitando a violência. Elas têm um grande desafio em suas mãos. Ou seja, isso é um teste da sua própria disciplina, também.

Acreditamos veementemente que a reforma democrática, o crescimento econômico, e a estabilidade duradoura são melhores abordadas por meio de um processo político inclusivo, em vez de por meio de imposição de restrições. Encorajamos, também, o povo etíope a que mantenham a paciência, mantenham o apoio ao seu governo durante essa mudança, durante essa transição, mas, também na busca dessa jornada pela democracia, que leva tempo e exige esforço. A democracia não é algo fácil. Ela exige muito trabalho. Mas, a perseverança nela traz mudanças duradouras. Não recorram à violência. A violência não é, nunca, a solução.

Eu pude trazer essas preocupações à luz por razão da relação muito, muito robusta que existe entre a Etiópia e os Estados Unidos, e porque compartimos muito apreço. Queremos que a Etiópia, como país, obtenha o sucesso e a prosperidade, e estamos confiantes que ela terá sucesso e prosperará, propiciando muitos, muitos benefícios econômicos, não apenas para o povo etíope, mas também para os países vizinhos na África, e em última instância também para os interesses comerciais dos EUA.

Recebemos positivamente a ação proativa que já foi tomada com a liberação de milhares de prisioneiros, inclusive jornalistas e líderes políticos, e incentivamos ações adicionais, medidas concretas que permitam maior liberdade de expressão política. Como a representante do assento da União Africana, a Etiópia desempenha um papel crítico e uma função significante de liderança na região e em todo o continente, e no mundo, e nós prezamos todos os esforços para – promover nossos objetivos em comum, de paz e prosperidade no continente. Isso é particularmente verdadeiro em relação aos nossos interesses partilhados em segurança. Como o maior contribuinte – a Etiópia é o maior contribuinte para as operações de manutenção da paz da Organização das Nações Unidas (ONU) – ela desempenha um papel vital na Missão da União Africana na Somália (AMISOM), bem como nos esforços de manutenção da paz no Sudão e no Sudão do Sul. Nós compartimos tesouros enquanto tentávamos promover a causa da paz, e nós compartimos sangue nessa empreitada pela paz, e reconhecemos isso.

A influência da Etiópia no apoio da segurança da Somália e do Djibouti é especialmente importante neste momento, para que as rotas do comércio global permaneçam abertas. Essas rotas, através do Mar Vermelho, afetam bilhões de pessoas no mundo todo em relação à sua estabilidade financeira. Também falamos dos Estados Unidos estarem ansiosos para liberar a economia da Etiópia. Acreditamos que isso trará muitas oportunidades e atrairá interesses comerciais, conforme ela prossiga no processo de reforma e liberalização, no fortalecimento das suas instituições judiciais e comerciais, e na assistência nas emergências humanitárias, aqui e em toda a região, incluindo os quase um milhão de refugiados que atualmente residem na Etiópia. Precisamos residir – reconhecer a generosidade da Etiópia que recebeu esses refugiados.

Os Estados Unidos são amigos de longa data da Etiópia. Estamos ansiosos em trabalhar com vocês, enquanto o povo da Etiópia estiver buscando a paz, a democracia e a prosperidade, coisas todas que, sabemos, vocês terão sucesso em alcançar. Obrigado.

MODERADOR: Muito obrigado, Suas Excelências. Agora, passo para a mídia. Tibebu Yared da EBC.

Pergunta: Muito obrigado. Eu sou Tibetu da EBC. Minha pergunta está dirigida para V.Exa. Sr. Tillerson. Qual é o objetivo e, claro, a implicação da sua visita à Etiópia, nesse momento em particular? Obrigado.

SECRETARY TILLERSON: Bem, como mencionei, esta é uma relação de longa, muito longa data, mais de 100 anos. A Etiópia é um país com uma grande população, e é um importante parceiro de segurança nas áreas que eu já mencionei, e nós também vivenciamos a jornada da Etiópia em direção à democracia. Creio que são 27 anos até agora, o que é um longo período, mas, ela é uma democracia jovem, e como eu mencionei, as democracias são desafiadoras. Não é fácil promover o avanço de um país no sistema democrático. Portanto, estamos aqui para apoiar a Etiópia na sua jornada até uma sociedade com instituições democráticas.

Mas, também é importante que haja uma troca sobre os próximos passos a serem tomados, o que mais poderia fazer os EUA, a não ser oferecer o apoio e auxílio para o desenvolvimento econômico da Etiópia. A Etiópia possui uma economia vibrante, mas existe muito potencial que ainda não foi explorado na economia da Etiópia, e nós acreditamos em grandes oportunidades para o engajamento do setor privado dos EUA no apoio do crescimento econômico, geração de empregos, para esses muitos, muitos milhões de jovens que estão trabalhando arduamente para conseguir uma educação nas escolas; agora eles querem ter sua oportunidade de futuro, para si mesmos. Portanto, gostaríamos – desejamos ser parte disso e esperamos ser parte disso.
Existem tantos pontos tangentes, onde compartimos interesses em comum: segurança; estabilidade para a região – que afeta nossa segurança e, também, a segurança mundial – e oportunidades de prosperidade econômica. E este é o objetivo da visita, ou seja – para nós –, alcançarmos um melhor entendimento sobre como trabalhar juntos como parceiros, para alcançarmos àquelas aspirações em comum.
MODERADOR: Outra pergunta, Sisay Woubeshet, da Afro FM. Estou tentando aplicar paridade de gênero. (Risadas.)
Pergunta: Muito obrigado. Minha pergunta está dirigida para o Secretário Tillerson. O senhor veio durante o período do segundo estado de emergência, decretado aqui na Etiópia, qual é a sua opinião sobre o estado de emergência, conforme muitas nações estão dando suas opiniões sobre isso? E, como os EUA estão acompanhando a atual situação política na Etiópia e qual o papel que desejam desempenhar? Muito obrigado.

SECRETARY TILLERSON: Bem, como já citei, primeiro e acima de tudo, queremos reconhecer essa transferência voluntária de poder. Acreditamos que isso seja um sinal muito poderoso da robustez do processo democrático, aqui na Etiópia, e acreditamos ser importante que o parlamento, que foi eleito pelo povo etíope, decida quem será o próximo líder. É assim que funciona uma democracia.

Portanto, quero primeiramente reconhecer os aspectos muito positivos daquilo que está ocorrendo. Sei que é um desafio para o país. Isso cria incerteza. Essa é a parte difícil da democracia. Mas, nós apoiamos essa transferência pacífica de poder.

Sobre o estado de emergência, como mencionado, acreditamos que oferecer ao povo mais liberdade, em última instância, propicia a ele um maior envolvimento nessa democracia. Portanto, enquanto valorizamos a responsabilidade do governo na manutenção da estabilidade e no controle para que a violência não tome as ruas, é importante que – o país supere a necessidade de decretar estado de emergência, tão logo quanto possível. Esperamos que isso possa ocorrer. Como mencionei, nos encoraja o fato de que medidas foram tomadas para a liberação de grande número de pessoas que se encontravam detidas. Trata-se de um passo importante. Mas, os cidadãos da Etiópia também têm a responsabilidade de se comportar de uma forma não violenta, e esperamos que o governo permita as manifestações não violentas. Isso tudo faz parte do entendimento daquilo que melhor serve aos cidadãos da Etiópia.

MODERADOR: Muito obrigado. Girum Chala da CGTN, correspondente internacional com base em Addis.

Pergunta: Muito obrigado. Eu sou da CGTN. Sr. Ministro, muito obrigado, bem como ao Sr. Secretário. Durante os últimos anos, a Ethiopian Airlines gastou aproximadamente US$ 20 bilhões – em dinheiro etíope – investido nos Estados Unidos, na Boeing Company, para ser especialmente direta. Agora, quando consideramos isso – o dinheiro gasto, mais de 100 mil empregos criados nos Estados Unidos. Quando se consideram os investimentos dos Estados Unidos feitos na África, na Etiópia especialmente, não vemos muito. Em matéria de política, qual seria o próximo passo para este país e, especialmente, também, para o continente africano, o que aceleraria esses investimentos? E como o senhor vê, Sr. Ministro – na expectativa vinda da Etiópia –, o envolvimento dos EUA no apoio à industrialização do país, e mesmo no aumento do comércio internacional? Muito obrigado.

SECRETARY TILLERSON: Bem, nós tivemos uma discussão robusta sobre as oportunidades econômicas e sobre as potenciais oportunidades econômicas que vemos na Etiópia. E, em razão de você ter mencionado a aviação, a Etiópia está se tornando um centro crucial para o tráfego internacional de pessoas que viajam desde os Estados Unidos, com cada vez mais voos diretos para americanos que visitam Adis Abeba, e que então fazem conexão para outras partes do continente. Creio que isso atrairá um amplo interesse pela África e pela Etiópia. Ainda existe a necessidade de medidas de reforma econômica, também em outras partes da África, para que as barreiras ao investimento sejam mitigadas, para fomentar a confiança dos investidores estrangeiros, um Estado de Direito robusto, e processos regulamentares adequados. A maior privatização de participações possível, cria oportunidades. Mas, compreendemos que tudo isso faz parte das transições de governos, das economias em transição, mas, isso é o que incentivamos, estas são as áreas de oportunidade as quais, acreditamos, atrairão maior interesse e participação das empresas dos EUA.

Eu mencionei, nas nossas discussões, aquilo que entendemos como o acordo de livre comércio continental, que logo estará completo, e acreditamos que o estímulo da atividade econômica dentro do continente e o comércio com outros países no continente, de fato, criará ainda mais oportunidades para a entrada de investimentos estrangeiros e certamente, também, o interesse comercial dos EUA, que desejará ser fazer parte do sistema continental de comércio. De forma similar, ocorre o acordo da aviação civil que está sendo negociado por meio da União Africana. Isso irá simplesmente unir mais firmemente os laços no continente, de forma mais eficiente.

Todas essas são condições muito positivas para que as empresas estrangeiras queiram participar e fazer parte disso. Portanto, acredito que vários passos muito positivos estão sendo dados, e acredito que isso vai garantir que os comerciantes e investidores americanos entendam quais são as oportunidades aqui. Tivemos também discussões sobre como implementarmos isso. A recente criação da parceria entre a Câmara de Comércio dos EUA e a Câmara de Comércio da Etiópia será muito importante ao expor as oportunidades daqui para os comerciantes americanos.

Portanto, creio que muito ainda está por vir, está no futuro vindouro e, conforme as condições sejam criadas, e algumas das peças sejam colocadas em seus lugares, creio que o interesse dos comerciantes americanos e do setor privado aumentará em relação à Etiópia.

MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORS DR. WORKNEH: Sim. Conforme disse o Secretário, o assunto de investimento e comércio é também um assunto de agendas que nós discutimos com o Secretário Tillerson. A África é o continente do futuro, como disse o Secretário, e a África tem uma população de mais de 70 por cento de usuários* e de mão-de-obra qualificada. Portanto, vir para a África, em todos os sentidos, irá beneficiar o comércio, o investimento dos EUA. Assim, nós esperamos que mais investidores venham à Etiópia e à África; esperamos o crescimento dos negócios daqui com os Estados Unidos da América, e dos EUA para a Etiópia. A Ethiopian Ailines é uma das maiores companhias aéreas, com o maior número de passageiros indo daqui, da África para os Estados Unidos da América, e vice-versa. Essa relação comercial continuará, e nós esperamos que esta visita também nos assista muito nisso – incrementando o investimento no comércio.

MODERADOR: Última pergunta. Kylie Atwood, da CBS.

Pergunta: Obrigado. Secretário Tillerson, eu gostaria de desviar o assunto por um minuto para a Coreia do Norte. Agora, a Coreia do Sul afirma que Kim Jong-un está disposto a negociar o abandono do programa nuclear com os EUA. O senhor afirmou que está ouvindo a Coreia do Norte, e o senhor disse que a mensagem deles virá de forma muito explícita. Seria essa a mensagem que o senhor esperava ouvir? O senhor estaria preocupado com a ansiedade exacerbada da Coreia do Norte? Os EUA poderiam, agora, se comprometerem com negociações com a Coreia do Norte? E, eu tenho mais uma pergunta para o senhor, sobre a Rússia.

MODERADOR: Apenas uma pergunta.

Pergunta: Eu fui excluída na última conferência. Posso fazer mais uma? Obrigado. Dizem que o Ministro Lavrov, das Relações Exteriores da Rússia se encontra aqui na Etiópia, ao mesmo tempo que o senhor, e a Embaixada Rússia afirmou que, de fato, os senhores estão hospedados no mesmo hotel. Ele afirmou que foi mencionada uma reunião entre os senhores. O senhor planeja se reunir com ele durante sua estada aqui? Caso negativo, o que isso revelaria sobre a diplomacia americana, se o senhor rejeitra uma oportunidade de se reunir frente-a-frente para expressar as frustrações dos EUA em relação à continuação da campanha militar russa na Síria. Obrigado.

SECRETARY TILLERSON: Creio que há umas cinco ou seis perguntas aí. (Risadas.)

Pergunta: Peço desculpas, mas eu tinha que fazer isso.

SECRETARY TILLERSON: Primeiramente, sobre a Coreia do Norte. Creio que, conforme foi indicado pelo Presidente Trump, sinais potencialmente positivos vindos da Coreia do Norte – a propósito, o diálogo interno com a Coreia do Sul. Nós mantemos comunicações muito, muito estritas com o Presidente Moon, da República da Coreia. Eles estão nos mantendo muito bem informados sobre suas reuniões, sobre o conteúdo das reuniões e sobre a natureza delas, e nós estamos propiciando informações a eles também.

Em relação às conversações diretas com os Estados Unidos – você perguntou sobre negociações, e nós estamos muito longe de negociações. Creio que – temos apenas que ser muito alertas e realistas sobre esse assunto. Creio que o primeiro passo – e isso eu estou repetindo – é mantermos conversações, algum tipo de conversação sobre conversações, pois eu ainda não sei, até que tenhamos a oportunidade de nos encontrarmos frente-a-frente com representantes da Coreia do Norte, se as condições forem adequadas para começarmos a pensar em negociações. Esta é mais ou menos a situação atual.

A respeito da minha reunião com o Ministro Lavrov, das Relações Exteriores, eu perdi a conta de quantas reuniões tivemos no decorrer do ano passado. Portanto, a ideia de estarmos rejeitando uma oportunidade de engajamento diplomático é realmente tola. Simplesmente, tola. Temos tidos negociações, contatos e diálogos extensivos. Temos diálogos estratégicos. Temos vários mecanismos através dos quais nos comunicamos. Eu não tinha conhecimento de que o Ministro Lavrov, das Relações Exteriores, estaria aqui concomitantemente à minha estada, até uns dois dias atrás, e não fui informado de qualquer tentativa de estabelecer uma reunião, até que estava à caminho daqui. A minha agenda está estabelecida, portanto se não pudermos nos reunir aqui, nos vemos frequentemente ao redor do mundo, e temos os telefones um do outro, e nós os utilizamos.

MODERADOR: Obrigado. Agradeço a Vs. Exas. Obrigado aos canais de mídia. Sua Excelência Sr. Tillerson disse que esta é sua primeira visita, mas, eu espero que esta não seja sua última visita à Etiópia. Muito obrigado. Obrigado.

###


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.