rss

Comentários – Secretário de Estado Rex Tillerson

English English, हिन्दी हिन्दी, Русский Русский, Español Español, اردو اردو

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete da Porta-voz
Para divulgação imediata
Comentários
13 de março de 2018

Sala de Imprensa
Washington, D.C.

 

 
SECRETÁRIO TILLERSON: Boa tarde a todos. Hoje, um pouco depois do meio dia, recebi uma ligação do Presidente dos Estados Unidos feita do Air Force One – conversei também com o chefe de gabinete da Casa Branca, Kelly, para garantir que tenhamos clareza quanto aos próximos dias. O mais importante é garantir uma transição ordenada e suave durante um período em que o país continua a enfrentar importantes desafios de política e segurança nacional.

Como tal, efetivo no final do dia, estarei delegando todas as responsabilidades do escritório do Secretário de Estado para o subsecretário de Estado Sullivan. Minha comissão como Secretário de Estado terminará à meia-noite do dia 31 de março. Até lá, tratarei de algumas questões administrativas relacionadas com a minha partida e me empenharei para que o Secretário de Estado designado, Mike Pompeo, tenha uma transição suave e ordenada.

Estou sugerindo que a minha equipe de planejamento de políticas e Subsecretários e Subsecretários-adjuntos – aqueles confirmados, bem como aqueles em posições interinas – permaneçam nos seus postos e deem continuidade a nossa missão no Departamento de Estado ao trabalhar com o processo interagências. Estarei me reunindo com membros da minha equipe de “front office” e planejamento de políticas, para agradecê-los pelos seus serviços. Eles tem sido extraordinariamente dedicados à nossa missão, que inclui a promoção de valores que considero muito importantes: a segurança e proteção do nosso pessoal do Departamento de Estado; responsabilidade, o que significa tratar uns aos outros com honestidade e integridade; e respeito um pelo outro, mais recentemente em particular para enfrentar os desafios do assédio sexual dentro do Departamento de Estado.

Quero falar agora com os meus colegas do Departamento de Estado e com os nossos colegas e parceiros interagências no Departamento de Defesa e os Chefes de Estado Maior Conjunto. Para os meus diplomatas do Serviço Estrangeiro e colegas do Serviço Civil, todos nós fizemos o mesmo juramento ao cargo. Quer sejamos diplomatas de carreira, funcionários, ou nomeados políticos, estamos todos vinculados por esse compromisso comum: apoiar e defender a constituição, acreditar e ser fiel a essa constituição, e cumprir com integridade os deveres da nossa função.

Como Departamento de Estado, somos ligados por esse juramento. Nós permanecemos firmes aqui em Washington e em representações diplomáticas ao redor do mundo, muitos dos quais estão em situações de adicionais por periculosidade, sem suas famílias. O mundo precisa de líderes dedicados como esses, prontos para trabalhar com aliados de longa data, novos parceiros e aliados emergentes, que agora – muitos deles estão lutando como democracias e, em alguns casos, estão lidando com tragédia humana, crises de desastres naturais, literalmente se arrastando para superar tais circunstâncias. Estas são experiências que nenhuma sala de aula em um ambiente acadêmico ou em um grupo de reflexão podem ensinar. Somente através de pessoas indo para as linhas de frente para servir, é que esse tipo de talento pode ser desenvolvido.

Aos homens e mulheres em uniforme, me disseram que pela primeira vez na memória da maioria das pessoas, o Departamento de Estado e o Departamento de Defesa têm uma estreita relação de trabalho, onde todos concordam que a liderança dos EUA começa com a diplomacia. Os homens e mulheres em uniforme no Departamento de Defesa, sob a liderança do Secretário Mattis e do General Dunford, nos protegem como americanos e protegem o nosso modo de vida diariamente, no país e no exterior. Como um exército de voluntários, eles fazem isso por amor ao país, eles fazem isso por vocês, e eles fazem isso por mim, e por nenhum outro motivo. Como americanos, somos todos eternamente gratos a cada um deles, e reconhecemos seus sacrifícios.

A parte gratificante de ter liderança e parcerias estabelecidas é que você pode verdadeiramente alcançar alguns objetivos. E eu quero dar reconhecimento ao Departamento de Estado e aos nossos parceiros por algumas das suas realizações sob este governo.

Primeiro, trabalhando junto com nossos aliados, superamos as expectativas de quase todos com a campanha de pressão máxima da Coreia do Norte. Com o anúncio durante a minha primeira viagem como Secretário de Estado para a região, de que a era da paciência estratégica havia chegado ao fim, e com as medidas que começamos a tomar para aumentar drasticamente não apenas o alcance, mas a eficácia das sanções. O Departamento de Estado realizou uma campanha global para reunir parceiros e aliados em todos os países do mundo, com cada embaixada e missão diplomática elevando isso aos patamares mais altos. E em todas as reuniões que tive durante o ano, esse assunto esteve na pauta para ser discutido.

A adoção da estratégia do Sul da Ásia com um plano militar baseado em condições é a ferramenta para obrigar o Talibã a conversações de reconciliação e paz com o governo afegão. Finalmente equipados, estão os planejadores militares, com uma estratégia que eles podem executar ao invés de uma sucessão de 16 estratégias de um ano. Este compromisso militar claro atraiu o amplo apoio de aliados e equipou nossos diplomatas com um novo nível de certeza sobre como se preparar para as negociações de paz e atingir os objetivos finais.

Em outras áreas, apesar do êxito, ainda temos muito a fazer. Na Síria, conseguimos importantes cessar-fogo e estabilizações, o que sabemos que salvou milhares de vidas. Há mais a ser realizado na Síria, particularmente no que diz respeito à conquista da paz, e à estabilização do Iraque, e ver um governo saudável instalado, e mais amplamente em toda a campanha global para derrotar o ISIS. No entanto, nada é possível sem aliados e parceiros.

Ainda há muito a ser feito para estabelecer uma visão clara da natureza do nosso relacionamento futuro com a China. Como devemos lidar uns com os outros nos próximos 50 anos e garantir um período de prosperidade para todos os nossos povos, livre de conflitos entre duas nações muito poderosas?

E ainda há muito trabalho para responder ao comportamento e ações preocupantes por parte do governo russo. A Rússia deve avaliar cuidadosamente a forma como as suas ações são do melhor interesse do povo russo e do mundo de forma mais ampla. Continuar a sua trajetória atual provavelmente levará a um maior isolamento de sua parte, uma situação que não é do interesse de ninguém.

Assim, para os meus colegas no Departamento de Estado e interagências, ainda temos muito trabalho pela frente para cumprir nossa missão em nome do povo americano com aliados e parceiros. Encerro agradecendo a todos pelo privilégio de servir ao seu lado nos últimos 14 meses. É importante também me dirigir aos mais de 300 milhões de americanos, obrigado pela sua devoção a uma sociedade livre e aberta, a atos de bondade uns com os outros, à honestidade e ao trabalho árduo e silencioso que vocês fazem todos os dias para apoiar esse governo com seus dólares pagos em impostos.

Sabemos que todos querem deixar este lugar um lugar melhor para a próxima geração. Agora voltarei para a vida privada, como um cidadão privado, como um americano orgulhoso, orgulhoso da oportunidade que tive de servir meu país. Deus abençoe todos vocês. Deus abençoe o povo americano. Deus abençoe a América.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.