rss

Secretário de Estado Mike Pompeo com Setareh Sieg do Serviço Persa da Voz da América

English English, العربية العربية, Français Français, हिन्दी हिन्दी, Español Español, اردو اردو, فارسی فارسی, Русский Русский

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete da Secretária de Imprensa
Para divulgação imediata
Entrevista
25 de maio de 2018

 

 
Sala Monroe
Washington, D.C.

PERGUNTA: Secretário Pompeo, muito obrigado por fazer esta entrevista com a gente.

SECRETÁRIO POMPEO: É maravilhoso estar com você.

PERGUNTA: Como Secretário de Estado, você escolheu o Irã como seu primeiro grande discurso de política externa. Por que o Irã? É por causa da urgência ou da importância disso?

SECRETÁRIO POMPEO: Eu acho que são as duas coisas. É algo que o presidente considera uma séria ameaça para a estabilidade do Oriente Médio e, portanto, para a segurança nacional dos EUA e também olha para o lugar onde o povo iraniano se encontra, e ele acha que é um lugar onde os EUA podem ajudar a fazer a diferença. Há muito tempo que ele acha que o acordo feito pelo governo anterior não atendia nenhum desses interesses: os interesses do povo iraniano ou estabilidade do Oriente Médio ou, francamente, para os EUA. E, portanto, era uma prioridade para ele e assim, eu queria, nas primeiras semanas como Secretário de Estado, apresentar como o presidente Trump acha que nós podemos melhorar as coisas em cada uma dessas três situações.

PERGUNTA: Qual é a principal meta da nova estrutura de segurança proposta e como difere do JCPOA inicial?

SECRETÁRIO POMPEO: Sim, muito diferente. Diferente em abrangência e acho diferente em seu objetivo. O primeiro acordo foi muito estreito. Foi um esforço para dizer que o regime iraniano estava gastando uma tonelada de dinheiro em seu programa nuclear e queríamos parar isso: um objetivo nobre, um objetivo bom e digno. Mas a ameaça que o Irã representa é muito maior do que isso, certo. Eles estão lançando mísseis contra países muçulmanos. Eles estão tirando os direitos humanos de seu povo.

Eu acho que o presidente Trump se preocupa profundamente com todas essas questões, e assim a sua visão é que começamos novamente a definir o que acreditamos serem ideias muito básicas, certo. Então essas 12 coisas que eu listei são bem simples. Nós não estamos pedindo muito do governo iraniano, apenas se comportam como líderes normais; que não saqueiem o seu povo, que não desperdicem o dinheiro do seu povo com essas aventuras na Síria e no Iêmen e no Líbano e no Iraque, e a lista continua; liderem o seu povo, construam uma grande nação, usem os recursos que vocês têm para isso. É só isso que estamos procurando.

PERGUNTA: Isso fará parte da nova estrutura de segurança proposto de que o Irã iria parar ou deve parar de se intrometer em assuntos de outros países?

SECRETÁRIO POMPEO: Sim, nós pedimos isso. Olha, nós pedimos para pararem de espalhar terror pelo mundo, não criarem milícias no Iraque, não colocarem dólares iranianos e os cidadãos iranianos, que estão perdendo suas vidas na Síria. É inapropriado para a segurança do Oriente Médio e é ruim para o país. Portanto, o nosso objetivo é estabelecer condições em que o Irã vai se comportar como um país normal, certo. E se eles fizerem isso – e isso não é o povo iraniano, são os líderes iranianos que tomaram o controle e causaram esses danos. Se pudermos criar condições onde eles parem com isso, o povo iraniano terá grande sucesso, e teremos americanos visitando, e teremos todas as grandes coisas que fazemos quando são amigos e aliados e não pessoas que representam um risco para o nosso país.

PERGUNTA: Senhor, eu também vou abordar a questão dos direitos humanos. Mas se eu puder, eu gostaria de continuar falando sobre a estrutura de segurança, se possível. E [se houvesse] uma exigência para o Irã permitir inspeções nas instalações militares? Isso também fará parte da estrutura [de segurança]?

SECRETÁRIO POMPEO: Sim. Com relação ao uso de material nuclear no Irã, assim como temos na Arábia Saudita, assim como fizemos com os Emirados Árabes Unidos, não acreditamos que seja apropriado o Irã ter a capacidade de criar material físsil, enriquecer urânio ou ter uma instalação [de beneficiamento] de plutônio. Se eles querem um programa de energia nuclear pacífico, tudo bem, mas eles podem importar esse material. E outros países fazem isso. Funciona em muitos países ao redor do mundo. E para que possamos alcançar isso, para estarmos confortáveis que esse é o caso, teremos que realizar inspeções. Isso incluiria inspeções em instalações militares e laboratórios de pesquisa e em todos os lugares que haviam participado nas iterações anteriores do programa do Irã.

PERGUNTA: E você mencionou os direitos humanos. Há protestos, protestos contra o governo, em todo o Irã. Eu gostaria de saber a sua opinião sobre isso. Qual a sua opinião sobre esses protestos? E você acha que os Estados Unidos podem talvez apoiar os manifestantes?

SECRETÁRIO POMPEO: Certamente podemos dar apoio moral. Acho que o povo iraniano tomará essas decisões por si mesmo. Estes protestos ocorrem há meses – alguns são muito pequenos, outros são maiores – e muitas vezes em sincronia com o que eu afirmei na semana passada: a forma como esta riqueza é distribuída para Qasem Soleimani e não ao cidadão comum no sudeste do Irã ou em Teerã ou onde quer que seja. Esta riqueza está sendo desperdiçada de tal forma que os cidadãos iranianos estão enviando seus homens jovens para lutar e morrer e vivendo de forma não tão segura e abastada como poderiam se o Irã simplesmente mudasse seu comportamento.

Portanto, não é sobre… Você perguntou sobre mudança de regime. Não se trata de mudar o regime. Trata-se de mudar o comportamento do governo do Irã para comportar-se com o povo iraniano realmente quer.

PERGUNTA: Então é o que o John Bolton havia dito mais cedo, que o objetivo da administração não é mudança de regime no Irã?

SECRETÁRIO POMPEO: Correto. Sim, senhora.

PERGUNTA: E como você se sente em relação aos grupos de oposição nos Estados Unidos e na Europa? Você apoia os seus esforços?

SECRETÁRIO POMPEO: Sim. Devemos apoiá-los, desde que eles estejam trabalhando para alcançar o mesmo objetivo que nós. Vejo que de vez em quando esse nem sempre foi o caso com alguns grupos, alguns dos grupos menores, francamente. Desde que estejam trabalhando para alcançar o mesmo objetivo. Nós também não queremos que eles defendam a mudança de regime. Queremos que eles trabalhem em nome do povo iraniano, dos cidadãos iranianos comuns que não querem nada mais do que viver suas vidas, poder tirar o seu hijab, poder trabalhar e educar suas famílias e adorar da maneira que eles querem adorar. Isto é para o povo iraniano fazer, e assim, se há aqueles no exterior que estão trabalhando para alcançar esse objetivo, nós certamente os saudamos.

PERGUNTA: Senhor secretário, dois anos atrás, como um congressista, você pessoalmente queria ir para o Irã, você estava preparado para ir para o Irã, e você queria pressionar o governo, o Khamenei e Zarif, para lhe darem acesso aos reféns americanos. Como Secretário de Estado, você vai pressionar o governo iraniano novamente para libertar os reféns americanos? E como sabe, Bob Levinson desapareceu há mais de 11 anos.

SECRETÁRIO POMPEO: Conheço bem a história do Sr. Levinson. Rezo por seu regresso seguro, e nossa equipe trabalha para isso todos os dias. Quanto aos outros americanos, esperamos que o governo iraniano, o Senhor Rouhani e o Senhor Zarif, aiatolá, veja que é do seu melhor interesse, e por nada mais do que a humanidade básica, permitir que esses americanos inocentes voltem para as suas famílias. Existem enormes problemas por aí, mas parece bastante básico para mim que não se deve impedir que pessoas inocentes voltem aos seus entes queridos.

Então, sim, vamos trabalhar nisso. Vamos rezar por isso. E esperamos que um dia, da mesma forma que fomos abençoados por três americanos terem voltado da Coréia do Norte algumas semanas atrás, que tenhamos esse mesmo tipo de dia para aqueles que estão presos pela República Islâmica do Irã.

PERGUNTA: Queria lhe perguntar sobre os cantos, os slogans que ainda ouvimos no Irã: “morte à América” e “morte a Israel”. Antes de qualquer tipo de acordo entre Irã ou Teerã e os Estados Unidos sobre o Irã, você não acha que deveria ser uma exigência para o Irã parar com isso?

SECRETÁRIO POMPEO: Sim, especialmente os seus líderes. Na América, as pessoas dizem todo o tipo de coisas. Temos uma democracia aberta. Existem pessoas que gostam e outras que não gostam do presidente Trump. Eu não vejo problema com isso. Não me incomodo com isso.

Quando você tem importantes lideranças, quando você tem outros fomentando este tipo de encontros falsos para não fazer nada além de comparecer e falar, cantar “morte à América” ou “morte a Israel”, o governo iraniano deveria parar. Eles deveriam parar com isso porque não é a coisa certa para o seu povo.

Eu acho que a maioria dos iranianos olha para o que fomos capazes de realizar aqui na América e quão abençoados fomos, e acho que isso é um modelo que funciona no sentido de que nós certamente adotaremos uma forma diferente de democracia, e nós teremos uma forma diferente de governo, e nós teremos diferentes valores e crenças em um determinado conjunto de coisas, nós teremos religiões diferentes, e que não há problema com tudo isso. Mas a compreensão comum básica da humanidade, que você trata cada ser humano com dignidade e respeito, que você não exporta a violência ao redor do mundo, que você não rouba e saqueia de seu próprio povo, esses valores fundamentais que são civilizacionais, eles são históricos; eu acho que o povo iraniano compartilha isso da mesma maneira que o povo americano.

PERGUNTA: Senhor Secretário, quero voltar a algo que você disse, parte do seu discurso. Você enfatizou isso e você acabou de mencionar que “não há mais criação de riqueza para os cleptocratas iranianos”. Qual é a sua opinião sobre os esforços do Congresso para expor a riqueza oculta dos líderes corruptos do Irã, do Aiatolá Khamenei ao presidente? E se um projeto de lei assim fosse aprovado no Congresso o governo apoiaria essa exposição?

SECRETÁRIO POMPEO: Minha nossa. Achamos que é muito importante. É tão importante quanto um assunto informativo. O povo iraniano merece a verdade. Você tem altos líderes que estão embolsando dinheiro, usando empresas que são conhecidamente frentes, e, francamente, apenas roubando. Na medida em que podemos provar e demonstrar isso, eu gostaria de ter a chance de expor isso para que o povo iraniano possa julgar por si mesmo se estes são os indivíduos que querem para comandar o seu país.

PERGUNTA: Senhor secretário, muito obrigado.

SECRETÁRIO POMPEO: Muito obrigado, senhora. Foi ótimo estar com você.

PERGUNTA: Nós apreciamos muito, muito mesmo.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.