rss

Secretário de Estado Michael R. Pompeo Conferência de imprensa

Español Español, English English, Français Français

Departamento de Estado dos EUA
Gabinete da porta-voz
Para divulgação imediata
4 de dezembro de 2018
Sede da OTAN
Bruxelas, Bélgica

 

SECRETÁRIO POMPEO:  Boa noite a todos.  Gostaria de começar a noite expressando minhas condolências à família Bush, pelo falecimento de um grande homem, o presidente George H. W. Bush.  Literalmente, ele incorporou o melhor dos Estados Unidos em sua devoção ao serviço público e em seu patriotismo ardente.  Minha esposa e eu lamentamos, com o presidente Trump e todos os nossos concidadãos americanos, enquanto celebramos sua vida incrível.  Amanhã, unir-me-ei ao presidente e aos meus colegas, membros do gabinete, para honrá-lo durante o dia nacional de luto nos Estados Unidos

Durante toda sua vida, o presidente Bush foi um defensor incansável da segurança transatlântica.  Hoje, nos esforçamos em emular o seu exemplo, ao afirmarmos a poderosa liderança americana em benefício do nosso povo e dos nossos aliados. Quando o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) foi assinado, em 1987, ele representou um esforço de boa vontade entre dois rivais para diminuir a ameaça da guerra nuclear.  O presidente Reagan descreveu o mesmo como a realização de “uma perspectiva impossível”, e Mikhail Gorbachev afirmou que o mesmo tinha “um significado universal para a humanidade”.

Mas, sejam quais tenham sido os sucessos que esse tratado ajudou a produzir, hoje, nós temos que confrontar os russos que estão fraudando suas obrigações relativas ao controle de armas.  Conforme disse anteriormente, hoje, aos meus homólogos, as nossas nações têm opções.   Podemos enterrar nossas cabeças na areia, ou podemos tomar medidas sensatas em resposta ao descaso flagrante da Rússia em relação às disposições contidas no Tratado INF.

É importante notarmos que as infrações cometidas pela Rússia não ocorreram do dia para a noite.  A Rússia vem realizando testes de voo com o míssil de cruzeiro SSC-8 desde 2005, aproximadamente.  Os testes realizados excedem às distâncias permitidas pelo tratado.  Todos os testes com SSC-8 tiveram sua origem em Kapustin Yar, e utilizaram lança-misseis fixos e móveis.  A distância alcançada os tornam uma ameaça à Europa.

Em 2017, o general Selva do Estado-Maior Conjunto disse ao Congresso que a Rússia havia destacado seus mísseis, abro aspas, “com o objetivo de se posicionar como uma ameaça à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e às instalações dentro da área de responsabilidade da OTAN”, fecho aspas.  A Rússia continua a avançar e, até o final de 2018, incorporou múltiplos batalhões de mísseis SSC-8.

Enquanto tudo isso ocorria, os Estados Unidos mantiveram a conformidade normativa de modo escrupuloso.  Apesar das infrações cometidas pela Rússia, nós temos exercitado paciência e esforço máximos no trabalho de convencer a Rússia a aderir àquelas disposições.   Em pelo menos 30 ocasiões, desde 2003, alcançando os níveis mais altos de liderança, nós demonstramos a não conformidade da Rússia e enfatizamos que, caso não haja um retorno à conformidade normativa, haverão consequências.

A resposta da Rússia tem consistido em: negação de qualquer irregularidade; exigência de mais informação; e a elaboração de contra-acusações sem fundamentos.  Por mais de quatro anos, Moscou tem fingido não saber sequer sobre que míssil ou teste os Estados Unidos estariam falando, mesmo depois de fornecermos informação extensiva sobre as características dos mísseis e o histórico dos testes.  Apenas depois que decidimos divulgar publicamente o nome do míssil russo, em novembro de 2017, finalmente a Rússia reconheceu a sua existência.  Então, a Rússia modificou sua narrativa de ocultação, de um míssil que não existia, para um míssil que existe, mas, que atende às disposições do tratado.

As infrações contra o Tratado INF não podem ser observadas de modo isolado, desconsiderando o padrão mais amplo de ilegalidade russa no palco mundial.  A lista de atividades infames da Rússia é longa: Geórgia, Ucrânia, Síria, intrusão em eleições, Sripal, e agora o Estreito de Kerch, para indicarmos apenas alguns.

Em razão desses fatos, hoje, os Estados Unidos declaram ter revelado que a Rússia cometeu infração material contra o tratado, e que nós suspenderemos nossas obrigações, como remediação efetiva em 60 dias, a menos que a Rússia retorne à conformidade normativa de forma completa e verificável.

Estamos tomando essas medidas por diversas razões.  Primeiramente, as atividades russas comprometem gravemente a segurança nacional dos Estados Unidos e dos nossos aliados e parceiros.  Para os Estados Unidos, não faz sentido manter um tratado que restringe nossa habilidade de responder às infrações russas.  A Rússia inverteu a trajetória que diminuía o risco nuclear na Europa, onde os Estados Unidos mantêm dezenas de milhares de tropas e onde outros milhares de civis americanos estão vivendo e trabalhando.  Esses americanos vivem e trabalham ao lado de outros milhões de europeus, que foram colocados em perigo pelos sistemas de mísseis russos.

Em segundo lugar, enquanto a Rússia é responsável pelo fim do tratado, muitos outros países – inclusive a China, a Coreia do Norte e o Irã – não participam do Tratado INF.  Isso mantém a liberdade dos mesmos permitindo que desenvolvam todos os misseis de alcance intermediário que eles gostariam.  Não existe razão para que os Estados Unidos continuem a ceder essa vantagem militar crucial para poderes revisionistas como a China, especialmente quando essas armas estão sendo utilizadas para ameaçar e coagir os Estados Unidos e seus aliados na Ásia.

Caso vocês perguntem porque o tratado não foi ampliado para incluir mais nações, inclusive a China, tenham em mente que isso já foi tentado três vezes sem nenhum sucesso, falhando todas as vezes.

Em terceiro lugar, a inércia não orientará as políticas na Administração Trump.  Conforme o presidente Trump deixou claro, e conforme eu falei sobre isso esta manhã, os Estados Unidos não apoiarão tratados internacionais que comprometam nossa segurança, nossos interesses, ou nossos valores.

Finalmente, eu quero deixar isso claro, os Estados Unidos estão respeitando o Estado de Direito.  Quando apresentamos nossos compromissos, nós concordamos em ficar vinculados a eles.  Nós esperamos o mesmo dos demais participantes do tratado, e cobraremos deles suas responsabilidades quando suas palavras provarem serem indignas de confiança.  Se não agirmos assim, seremos enganados pelas outras nações, exporemos os americanos a riscos maiores e desperdiçaremos a nossa credibilidade.

Anteriormente, hoje, eu falei sobre o papel da liderança americana como garantia da ordem internacional, e reiterei que uma liderança americana poderosa significa nunca abandonar a nossa responsabilidade de proteger nossa segurança e a soberania do nosso país.  Nos declaramos nosso posicionamento em termos precisos.  Os Estados Unidos permanecem esperançosos de que a nossa relação com a Rússia pode melhorar, pode tomar uma boa direção.

Dito isso, o ônus recai sobre a Rússia para que faça as mudanças necessárias.  Eles são os únicos que podem salvar esse tratado.  Se a Rússia reconhecer suas infrações, e retomar à conformidade normativa de forma completa e verificável, com certeza, nos acolheremos positivamente tal curso de ação.  Mas, é a Rússia, apenas a Rússia pode dar esse passo.

Nós apreciamos o apoio vigoroso da nossa decisão pela OTAN, conforme expressado em sua declaração de hoje.  Os Estados Unidos e nossos aliados da OTAN mantêm-se vigilantes, e a conduta ilegal da Rússia não será tolerada no domínio do controle armamentista, nem em outros campos.

Obrigado.

Sra. Nauert:  Temos tempo para várias perguntas.  A primeira vai para Teri Schultz da Deustsche Welle.  Teri.

Pergunta:  Olá.  Obrigado.  Secretário Pompeo, eu estou aqui.

SECRETÁRIO POMPEO:  Encontrei-o.

Pergunta:  O que isso significa, concretamente?  Quais serão os próximos passos?  O senhor estará apenas esperando os 60 dias, na expectativa de que a Europa possa auxiliar em forçar a Rússia a retornar à conformidade?  O que exatamente – como exatamente isso ocorrerá agora?  E então, os seis meses têm início em 60 dias?  Apenas mais alguns detalhes sobre isso.  Obrigado.

SECRETÁRIO POMPEO:  Com certeza.  Conforme disse nos meus pronunciamentos, nós acolheríamos positivamente uma mudança de posição da Rússia, uma mudança de direção, a destruição do seu programa, e sua consequente obediência aos termos do tratado. Portanto, nos próximos 60 dias, eles têm toda a oportunidade de fazê-lo.  E nós acolheríamos isso de forma positiva.

Posso lhe dizer que nossos parceiros europeus apreciam esse tempo extra.  Trabalhamos de perto com eles.  Eles pediram a extensão do período, e nós, em nosso esforço para garantir coesão completa – e eu lhe direi, conforme você conversa com os outros 28 ministros que se encontram aqui hoje, existe uma coesão completa em torno disso – acreditamos que essa é a solução correta.   Os seis meses serão contados a partir dos 60 dias contados de hoje.  Durante os 60 dias, nós ainda não testaremos ou produziremos, ou destacaremos nenhum sistema, e observaremos os acontecimentos durante esse período de 60 dias.

Conversamos muito com os russos.  Temos esperança de que eles mudarão de curso, mas, até a presente data, não há indicações de que tenham intenção de fazê-lo.

Sra. Nauert:  Jessica Donati do Wall Street Journal.

Pergunta:  Sim.  Obrigada.  Além de retirarem-se – ou de suspenderem nossa participação no Tratado INF, quais outras medidas podem ser tomadas para auxiliar a Ucrânia no sofrimento imposto pela Rússia?

SECRETÁRIO POMPEO:  Então, hoje tivemos muitas discussões sobre isso.  Deixarei que alguns outros falem sobre essas conversações.  Mas, dois itens ficaram muito claros durante o tempo que passamos com o ministro ucraniano das Relações Exteriores, como grupo, ou seja, que existe unanimidade sobre a ilegalidade das atividades inaceitáveis russas e que os limites devem ser restaurados, e que trata-se de um compromisso coletivo da Europa e do mundo, de negar à Rússia a capacidade de continuar infringindo as normas e leis internacionais básicas.  Temos esperança de que os russos libertarão os marinheiros que eles detêm atualmente, imediatamente.  E nós desenvolveremos coletivamente um conjunto de respostas que demonstram para a Rússia que o seu comportamento é simplesmente inaceitável.

Sra. Nauert:  Emerald Robinson da One America News.

Pergunta:  Muito obrigada, Sr. Secretário. Sim, o senhor falou sobre os compromissos com os tratados em relação aos Estados Unidos e seus aliados.  Mas, o senhor falou também sobre as instituições internacionais e apresentou a perspectiva dos Estados Unidos sobre isso.  Indicou especificamente o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial, e a ONU.  Como o senhor crê que grandes instituições internacionais poderiam ser reformadas atualmente?  Seria o caso de uma nova liderança?

SECRETÁRIO POMPEO:  Cada instituição precisa ser avaliada de forma consistente, correto.  Isso não ocorre – entidades multilaterais, internacionais não são diferentes.  Essas entidades têm existido por muito tempo, e cada uma delas é merecedora de uma revisão completa.   Elas ainda seriam – elas ainda atendem aos seus propósitos?  Elas ainda servem às suas finalidades originais?  Foi sobre isso que falei esta manhã.

O presidente Trump acredita que, se exercermos a liderança americana e a soberania americana, e avaliarmos essas entidades em relação aos objetivos de criação de prosperidade e paz ao redor do mundo, que cada uma delas estaria pronta para algum tipo de reforma.  E nós observaremos as partes que estão funcionando, enquanto eu – e eu descrevi várias funções dessas instituições que estão funcionando.  Manteremos essas.  Aprimoraremos essas.  Nós queremos ser parte dessas.

Mas, se estiverem falidas e não estiverem propiciando algo para os Estados Unidos e para o mundo, então não podemos descansar em nossos méritos e pensar que, “gente, essa é boa”, só porque ela é multilateral.  Essa ideia apresentar meramente uma natureza multilateral, isso não garante que seja boa.  As coisas que são boas são aquelas que fluem, as coisas que derivam do trabalho que as nações-Estados fazem, como parte das entidades multilaterais, e a intenção dos Estados Unidos como líder é garantir que cada uma dessas entidades que você mencionou esteja propiciando algo.

Sra. Nauert:  Última pergunta, Guy Taylos do Washington Times.

Pergunta:  Muito obrigado, Sr. Secretário.  Voltando ao Tratado INF, apenas por um segundo.  O senhor mencionou a possibilidade dos Estados Unidos desenvolverem e destacarem sistemas que, de outra forma, estariam infringindo o tratado.  Da perspectiva estratégica, este tipo de destacamento seria algo que, realmente, o Governo de Trump está se preparando para fazer?  O senhor poderia falar talvez, por exemplo, das preocupações europeias sobre a possibilidade do destacamento de armas de alcance intermediário em toda a Europa Ocidental, já banidas por esse tratado há tanto tempo?

SECRETÁRIO POMPEO:  Hoje, eu posso dizer duas coisas sobre isso.  Os países europeus podem ter certeza, conforme preparamos a forma como protegeremos e criaremos estabilidade na Europa e no mundo todo, contra a ameaça dos misseis nucleares de alcance intermediário, e especialmente dos da Rússia, de que estaremos trabalhando de perto com nossos aliados europeus e outros aliados em todo o mundo que também são ameaçados por esses sistemas de misseis.  Assim, aquilo que os Estados Unidos estão pensando, como estamos abordando isso, não será uma surpresa para ninguém, e nós buscaremos a assistência deles, seu auxílio, suas contribuições sobre como desenvolver a arquitetura de segurança – uma arquitetura que de fato propicie algo.

Quero dizer, nós – apenas para ficar claro, tivemos uma parte – em um tratado com duas partes, onde apenas uma manteve a conformidade normativa.  Isso não é um tratado.  Isso é apenas auto comedimento e, estrategicamente, permanecer nessa posição não fazia mais sentido e nós, doravante, desenvolveremos nosso curso.   Não quero falar muito sobre qual será a política dos Estados Unidos, porque ainda precisamos conversar com muitos colegas.  E, também deixarei a natureza e o trabalho que eles estão fazendo nos sistemas que por fim, possivelmente, serão não-conformes, para o Departamento de Defesa.

Sra. Nauert:  Ok, muito obrigada a todos vocês.  Obrigada.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.