rss

Os Estados Unidos Apoiam o povo Venezuelano com Assistência Humanitária

English English, Français Français, Español Español, Русский Русский

Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional
Escritório de relações com a imprensa
Para divulgação imediata
6 de fevereiro de 2018
Folha Informativa

 

RECONHECIMENTO DA CRISE HUMANITÁRIA REGIONAL: A sistemática má gestão econômica, corrupção e opressão violenta do ex-presidente Nicolas Maduro causaram a grave escassez de alimentos e de remédios e sofrimento humano desnecessário, resultando em um êxodo de milhões de venezuelanos para países vizinhos.

  • A escalada dos efeitos desta crise política e econômica criada pelo homem têm consequências humanitárias terríveis.
  • Estima-se que a hiperinflação tenha atingido 1,37 milhão por cento em 2018, de acordo com o Fundo Monetário Internacional, nesse país que um dia foi o mais rico da América Latina. Cerca de um mês de alimento para uma família custa mais de 100 vezes o salário mínimo mensal. Como resultado, muitos venezuelanos não podem comer todos os dias.
  • A deterioração da infraestrutura interrompeu os serviços de água e saneamento, e o colapso do sistema de saúde provocou surtos de doenças anteriormente erradicadas, como o sarampo, que se espalharam para países vizinhos:
    • Cerca de 90% dos hospitais venezuelanos pesquisados informaram escassez de medicamentos, e cerca de 70% informaram sofrer quedas de energia e falta de água regularmente.
    • A maioria dos cerca de 17 mil casos de sarampo registrados em toda a região são atribuídos a surtos na Venezuela, devido ao colapso dos sistemas básicos de vacinação infantil; um dos serviços de saúde mais básicos que um governo pode oferecer.
    • Em 2017, o regime de Maduro demitiu a sua ministra da saúde, não por causa da catástrofe da saúde pública em curso, mas porque a ministra divulgou publicamente estatísticas de saúde atualizadas. Desde então, o regime parou de publicar estatísticas de saúde para esconder a dimensão de sua má gestão.
  • De acordo com estimativas das Nações Unidas, mais de 3 milhões venezuelanos deixaram o país, um número que deve aumentar para mais de 5 milhões até o final de 2019:
    • Esta fuga de venezuelanos vulneráveis está sobrecarregando os serviços de saúde, educação e outros serviços sociais em países vizinhos, incluindo Brasil, Colômbia, Equador e Peru.

OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO ORGANIZANDO A ASSISTÊNCIA EMERGENCIAL HUMANITÁRIA NA REGIÃO EM RESPOSTA AO PEDIDO DE AJUDA DO PRESIDENTE INTERINO GUAIDÓ: Os Estados Unidos estão mobilizando a ajuda humanitária de salvamento de vidas para o povo da Venezuela:

  • O governo dos EUA está adquirindo e disponibilizando a ajuda solicitada pela equipe do presidente Guaidó, e pedindo às forças de segurança da Venezuela que permitam que esses suprimentos urgentemente necessários entrem no país..
  • Esses esforços são realizados após o anúncio feito em 24 de janeiro de 2019 pelo Secretário Pompeo que os Estados Unidos estão prontos para fornecer mais de US$ 20 milhões em assistência humanitária inicial para o povo da Venezuela, enquanto lutam para lidar com a grave escassez de alimentos e medicamentos e outros impactos terríveis de crise politica do seu país, e da crise econômica e humanitária criada por Maduro.
  • Esta assistência fornecerá suprimentos médicos que são urgentemente necessários e terá como objetivo atender as populações mais vulneráveis da Venezuela.

JUNTOS COM NOSSOS VIZINHOS HO HEMISFÉRIO: Os Estados Unidos estão prontos para apoiar nossos parceiros no hemisfério para atender as necessidades dos venezuelanos que fugiram para a região.

  • Desde o ano fiscal de 2017, os Estados Unidos forneceram mais de US$ 140 milhões, incluindo cerca de US$ 97 milhões em assistência humanitária e cerca de US$ 44 milhões em assistência ao desenvolvimento, para apoiar os esforços generosos de países para acolher os venezuelanos que fugiram do caos em sua terra natal.
  • A ajuda dos EUA inclui o apoio a venezuelanos em 17 países da região, incluindo Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guiana, México, Panamá, Peru e Trinidad e Tobago.  Em particular, os Estados Unidos financiam agências das Nações Unidas e organizações não-governamentais para fornecer assistência de emergência como alimentos, assistência médica, proteção e abrigo, para os venezuelanos e comunidades de acolhimento na região.

Os Estados Unidos continuarão expandindo a assistência humanitária na região para atender às crescentes necessidades e reduzir o impacto da crise nos venezuelanos e nos países de acolhimento.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.