rss

Campanha de Pressão Máxima contra o Regime do Irã

Español Español, English English, العربية العربية, Français Français, Русский Русский

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete da Porta-Voz
Informativo
Washington, DC
4 de abril de 2019

 

PRESSÃO MÁXIMA NA ECONOMIA

  • As sanções dos EUA cortaram o acesso do Irã a bilhões de dólares em receita de petróleo e estão atingindo suas exportações mais do que nunca. Desde maio do ano passado, 1,5 milhão de barris de petróleo iraniano foram retirados do mercado e as compras de petróleo do Irã em breve chegarão a zero.
  • Começando com a reimposição de nossas sanções em 5 de novembro de 2018, o acesso do Irã à receita da venda de petróleo bruto foi imediatamente restringido. No geral, nossas sanções têm negado o acesso direto do regime a até US$ 10 bilhões em receita de petróleo desde maio de 2018.
  • Mais de 20 países que antes eram clientes regulares de petróleo do Irã zeraram suas importações. Três jurisdições que receberam isenções em novembro já estão zeradas.
  • O governo Trump designou mais de 970 entidades e indivíduos iranianos em mais de 26 rodadas de sanções – mais do que qualquer outro governo na história dos EUA.
    • Na semana passada, uma vasta rede de empresas de fachada sediadas no Irã, nos Emirados Árabes Unidos e na Turquia foi sancionada por obter e transferir mais de um bilhão de dólares e euros para o Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica.
    • Nós designamos a Prisão de Evin, onde o Ministério da Inteligência e da Segurança e o Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica mantêm alas permanentes para prisioneiros políticos e sujeitam prisioneiros a táticas brutais.
    • Em resposta às atividades de censura em andamento pelo regime, designamos a Organização de Guerra Eletrônica e Defesa Cibernética da Guarda Revolucionária, o Conselho Supremo do Ciberespaço do Irã e o Centro Nacional de Ciberespaço.
    • Também sancionamos mais de 70 instituições financeiras ligadas ao Irã e suas subsidiárias nacionais e estrangeiras. A SWIFT desconectou todos os bancos iranianos sancionados de seu sistema e até desconectou o Banco Central do Irã.
  • Mais de 100 corporações saíram do mercado iraniano, levando consigo bilhões de dólares em investimentos.
  • A economia iraniana está em queda devido às políticas pobres do regime, seu compromisso contínuo com o terrorismo e nossa pressão direcionada. O rial perdeu dois terços do seu valor, relatórios indicam que o Irã está em recessão e a inflação atingiu o recorde de 40%. O comércio total do Irã diminuiu em quase 25% desde março de 2018.

AUMENTANDO O ENGAJAMENTO DIPLOMÁTICO

  • A Europa recuou contra a atividade terrorista iraniana. Depois de uma conspiração malsucedida em Paris e um plano frustrado de assassinato na Dinamarca no ano passado, a União Europeia sancionou em janeiro o Ministério da Inteligência e da Segurança Nacional do Irã e dois de seus agentes por seus papéis.
  • Países como Reino Unido, Alemanha, França, Dinamarca, Holanda, Albânia e Sérvia agiram sozinhos para enfrentar a ameaça do terrorismo iraniano, seja chamando embaixadores, expulsando diplomatas iranianos, negando direitos de aterrissagem à Mahan Air ou eliminando viagens sem visto.
    • A Alemanha anunciou recentemente a sua decisão de negar os direitos de aterrissagem da Mahan Air.
    • O Panamá emitiu um decreto presidencial para retirar o registro e desmarcar os navios iranianos após os Estados Unidos exporem uma rede terrorista que trocava petróleo por terror.
    • A Albânia expulsou o embaixador do Irã para Tirana e outro diplomata iraniano por envolvimento em conspirações terroristas frustradas.
  • Os Estados Unidos, juntamente com o Reino Unido, a França e a Alemanha, continuam a responsabilizar o Irã por desafiar suas obrigações internacionais. Nossos países expressaram forte preocupação ao Secretário-Geral da ONU após o lançamento do míssil balístico de médio alcance pelo Irã em dezembro e sua tentativa de lançamento de satélites em janeiro e fevereiro. Estes lançamentos e outros desafiam a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU.
  • As conclusões do Conselho de Negócios Estrangeiros da União Europeia em fevereiro enfatizaram sua preocupação com o programa de mísseis balísticos do Irã, o apoio ao terrorismo na Europa, as condições de direitos humanos no Irã e o atual papel do regime em conflitos regionais.

RESTAURAÇÃO DE DISSUASÃO

  • Nós expusemos a ajuda letal que o Irã está enviando a militantes no Iêmen, Bahrein e Afeganistão; incluindo mísseis balísticos, ataques de drones e barcos explosivos. Representantes de mais de 70 países visitaram a Exposição de Material do Irã, vendo evidências claras e tangíveis de que o Irã está enviando armas para seus parceiros militantes, que foram usados para atacar a infraestrutura e navios civis internacionais no Golfo.
  • Continuamos a combater as remessas ilícitas de petróleo da Força Qods, que beneficiam grupos terroristas como o Hezbollah, assim como o regime de Assad. Mais de 75 navios-tanques envolvidos em esquemas ilegais de transporte de petróleo tiveram negadas as bandeiras que precisam para navegar.
  • Os Estados Unidos continuam a construir parcerias com várias nações regionais para se defenderem contra as ameaças representadas pelo Irã.

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.