rss

Pronunciamento do Secretário Pompeo na Casa Piedra: “Aproveitando a Chance de Liberdade nas Américas”

English English

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete da Porta-Voz
Para Divulgação Imediata
12 de abril de 2019


“É assim que a prosperidade é construída e que as democracias são fortalecidas. Eleitores optando por visões mais ousadas. Países lutando contra seus próprios inimigos internos e se abrindo para novos relacionamentos externos.

Não podemos deixar de perceber como esse momento é importante para o hemisfério”.

-Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, 12 de abril de 2019.

CHILE: UM EXEMPLO PARA O HEMISFÉRIO:

“Basta olhar para as mudanças antes impensáveis que ocorreram no Chile e em outros países. O Chile fez a transição para a democracia pacificamente. O Chile abraçou a concorrência e o livre mercado. O Chile defendeu a transparência. O Chile está assumindo um papel de liderança nas questões regionais. Os chilenos fizeram tudo isso”.

– Secretário Pompeo, 12 de abril de 2019.

  • Graças à liberalização econômica, a taxa de pobreza do Chile diminuiu mais do que qualquer outra nação na América Latina – de 36% em 2000 para menos de 8,6% em 2017.
  • Desde que os Estados Unidos e o Chile assinaram um acordo de livre comércio em 2004, o comércio bilateral quase quadruplicou.

A NOVA ERA DA LIBERDADE NA AMÉRICA DO SUL:  

“Uma onda de democratização está varrendo este continente, e é acompanhada de movimentos anticorrupção e uma saudável dose de algo que nenhuma nação pode viver sem – bom senso”.

– Secretário Pompeo, 12 de abril de 2019.

  • O compromisso do Peru de combater a corrupção pública resultou no Compromisso de Lima, um acordo que delineou métodos para combater a corrupção na região, assinado durante a Cúpula das Américas em 2018.
  • No Equador, menos de um mês após sua posse em 2017, o presidente Lenín Moreno removeu as restrições à imprensa e adotou um novo diálogo nacional inclusivo.
  • As reformas colombianas e medidas de segurança fortaleceram as instituições naquele país, atraíram investimentos estrangeiros adicionais e permitiram que as empresas de classe mundial prosperassem.
  • • Na Argentina, as reformas pró-mercado do presidente Mauricio Macri foram difíceis, mas necessárias. Em 2016, a Argentina retornou aos mercados globais de crédito pela primeira vez em 15 anos.

O GOVERNO TRUMP ESTÁ AGINDO:

“Alguns líderes, até alguns anos atrás, vieram para cá e declararam suas intenções. Mas eles falavam muito e não agiam. O governo Trump não cometerá o mesmo erro”.

Secretário Pompeo, 12 de abril de 2019.

  • O presidente Donald Trump, o vice-presidente Mike Pence, o secretário de Estado Pompeo e o subsecretário de Estado John Sullivan estão comprometidos em cultivar relacionamentos bilaterais e viajaram bastante por toda a América Latina. O secretário Pompeo participou da posse do presidente Jair Bolsonaro no primeiro dia do novo ano no Brasil e, nesta viagem, se tornou o primeiro secretário de Estado dos EUA a visitar o Paraguai desde 1965.
  • Quando o presidente Bolsonaro visitou a Casa Branca, em março de 2019, foi assinado um acordo importante de salvaguardas tecnológicas que permitirá às empresas norte-americanas realizarem lançamentos espaciais comerciais a partir de Alcântara, no Brasil. Os dois presidentes assumiram vários compromissos comerciais que abrirão mais o mercado brasileiro aos agricultores americanos, e o presidente Trump anunciou sua intenção de conceder ao Brasil um status importante de não-aliado da OTAN, o que confere vantagens militares e financeiras ao Brasil.
  • Em novembro de 2018, o Acordo Estados Unidos-México-Canadá (USMCA) foi assinado em Buenos Aires, atualizando e modernizando o desatualizado Acordo de Livre Comércio da América do Norte.
  • O programa America Crece do governo Trump, criado para aumentar o comércio e o investimento em energia e infraestrutura em toda a região, também foi lançado em 2018.

OS EUA SÃO UM PARCEIRO MAIS CONFIÁVEL DO QUE CHINA E RÚSSIA:

“Temos que cimentar esses laços hemisféricos e apoiar as boas tendências. Porque, quando não fazemos isso, há sempre o risco de outros países, com intenções menos nobres, preencherem o vazio”.

 – Secretário Pompeo, 12 de abril de 2019.

  • No Equador, a barragem de Coca Codo Sinclair foi financiada e construída pela China supostamente para resolver as necessidades de energia do país e tirar o país da pobreza. Hoje, a represa opera com meia capacidade e o aço da infraestrutura está cheio de rachaduras. Trabalhadores morreram em acidentes evitáveis e quase todos os funcionários principais envolvidos na construção da represa foram presos ou sentenciados sob acusações de suborno.
  • Na Venezuela, a China financiou o regime de Maduro, investindo US$ 60 bilhões sem supervisão. Maduro usou o dinheiro para pagar seus comparsas, reprimir o movimento pró-democracia e financiar programas sociais ineficazes.
  • Na Nicarágua, a Rússia abriu um centro de treinamento policial e um complexo de satélites perto da capital nos últimos anos. Os cidadãos da Nicarágua sofrem todos os dias nas mãos de lideranças que se envolvem em violações flagrantes dos direitos humanos e sufocam a liberdade de expressão.

NOSSOS PARCEIROS SULAMERICANOS ESTÃO SE POSICIONANDO: 

“Estamos vendo países democráticos assumindo voluntariamente mais responsabilidades. Eles estão chegando mais perto da paz, da prosperidade e da liberdade no hemisfério.”

– Secretário Pompeo, 12 de abril de 2019.

  • Chile e Colômbia ajudaram a lançar uma nova integração regional chamada Fórum para o Progresso da América do Sul (Prosur), que facilitará a cooperação regional em áreas como infraestrutura, saúde, energia, combate à criminalidade transnacional e gestão de desastres naturais.
  • Em março de 2019, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, sediou a primeira reunião de chefes de estado da América do Sul em cinco anos.
  • Os Estados Unidos, juntamente com 53 outras nações, incluindo muitos parceiros do hemisfério, apoiam a transição pacífica e constitucional do poder na Venezuela. Os Estados Unidos estão reforçando os esforços do Peru para coordenar e convocar uma Ministerial da saúde em Lima em 30 de abril, que se concentrará na melhoria da coordenação regional dos cuidados de saúde, inclusive para os venezuelanos deslocados e as comunidades que os estão recebendo.

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.