rss

Cúpula Ministerial para Promoção da Liberdade Religiosa – Declaração sobre o Irã

English English, العربية العربية, Español Español, Русский Русский, Français Français, हिन्दी हिन्दी, اردو اردو

 

Como representantes da comunidade internacional, que valoriza e busca a proteção da liberdade fundamental de consciência religiosa, opomo-nos vigorosamente às sérias violações e aos abusos contra a liberdade religiosa praticados pelo governo iraniano.

No Irã, a blasfêmia, a apostasia ao Islamismo, e a catequização de muçulmanos são crimes puníveis com a morte. Muitos iranianos estão definhando nas prisões, inclusive na Grande Penitenciária de Teerã e na Prisão Evin, simplesmente por terem exercido seu direito fundamental de venerar, observar, praticar e ensinar de sua religião.

As religiões minoritárias não reconhecidas, incluindo os convertidos bahá’ís e cristãos, são especialmente vulneráveis à discriminação, perseguição e encarceramento injusto. Frequentemente, o governo iraniano emprega uma retórica anti-bahá’ís, fecha as empresas dos bahá’ís e recusa ao bahá’ís o acesso à educação. Dezenas de bahá’ís permanecem detidos no Irã sob acusações capciosas. Frequentemente, os serviços de segurança realizam incursões forçadas em moradias, igrejas, interrogando os congregados. O juiz Mashallah Ahmadzadeh e outros juízes magistrados revolucionários exararam sentenças severas de prisão contra membros das religiões minoritárias, inclusive contra os pastores cristãos, Youcef Nadarkhani e Victor Bet-Tamraz, derivadas de acusações forjadas relativas às suas atividades religiosas pacíficas. No ano passado, o governo iraniano sentenciou mais de 200 sufistas gonabadi a prisões de longo termo e outras penalidades graves, depois que as forças de segurança reprimiram protestos pacíficos dos sufistas gonabadi contra a detenção de um membro de sua religião.

Clamamos o governo iraniano para que liberte todos os prisioneiros de consciência e elimine todas as acusações que não se harmonizam com os direitos humanos universais de liberdade religiosa. Conclamamos o Irã a garantir julgamentos justos, de acordo com suas obrigações relativas aos direitos humanos, possibilitando o acesso aos serviços médicos a todos os detidos. Apoiamos os iranianos de todas as religiões e esperamos que um dia, em breve, tenham a liberdade de exercer sua consciência religiosa em paz.

Cossignatários: Ucrânia, Kosovo, Ilhas Marshall, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos da América


Visualizar Conteúdo Original: https://www.state.gov/statement-on-iran/
Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.