rss

Saída dos EUA do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) no dia 2 de agosto de 2019

English English, Français Français, Русский Русский, Español Español

Departamento De Estado Dos Estados Unidos
Gabinete da Porta-voz
Para divulgação imediata
Pronunciamento Do Secretário Pompeo
2 de agosto de 2019

 

No dia 2 de fevereiro de 2019, os Estados Unidos concederam um aviso prévio de seis meses sobre sua saída do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), em razão da violação contínua desse tratado pela Federação Russa.

A saída dos EUA, nos termos do artigo XV do tratado, se efetiva hoje, pois a Rússia não reinstaurou sua conformidade, de forma completa e verificável, por meio da destruição do sistema de míssil que viola o tratado, a saber, o míssil de cruzeiro de alcance intermediário SSC-8 ou 9M729 de lançamento terrestre.

A Rússia é a única responsável pelo fim do tratado.  Desde aproximadamente 2005, a Rússia vem desenvolvendo, produzindo, realizando testes aéreos e, agora, guarneceu vários batalhões com o míssil que viola o tratado.  Os Estados Unidos apresentaram suas preocupações com a Rússia em 2013.  Subsequentemente e de forma sistemática, a Rússia repudiou os seis anos de esforços dos EUA, que tentaram convencer a Rússia a reinstaurar a conformidade.  Com total apoio dos nossos aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), os Estados Unidos determinaram que a Rússia cometeu violação material do tratado, suspendendo, portanto, as nossas obrigações segundo as disposições do tratado.  Durante os últimos seis meses, os Estados Unidos propiciaram uma última oportunidade para que a Rússia reinstaurasse a conformidade.  Como fez por muitos anos, a Rússia escolheu manter seu míssil, violando o acordo, em vez de reinstaurar a conformidade com suas obrigações determinadas por esse.

Os Estados Unidos não permanecerão como participantes de um tratado que é deliberadamente descumprido pela Rússia.  A não-conformidade da Rússia com o tratado põe em risco os interesses mais importantes dos EUA, enquanto o desenvolvimento e a mobilização do sistema de míssil, que viola o tratado, representa uma ameaça direta da Rússia contra os Estados Unidos e contra nossos aliados e parceiros.  Os Estados Unidos agradecem imensamente a cooperação e determinação inabaláveis que os aliados da OTAN têm demonstrado como resposta às violações da Rússia.

Os Estados Unidos continuam comprometidos com os controles efetivos de armamento que promovam a segurança dos EUA, dos aliados e dos parceiros; que sejam verificáveis e executáveis; e que incluam parceiros que cumpram suas obrigações com responsabilidade.  O Presidente Trump incumbiu esta Administração de iniciar um novo capítulo, na busca de uma nova era no controle de armamento com um alcance que sobrepasse o dos antigos tratados bilaterais.  Promovendo essa ideia, os Estados Unidos conclamam a Rússia e a China para que se unam a nós nesta oportunidade para conceder soluções reais de segurança para nossas nações e para o mundo todo. ff


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.