rss

Amigos do Sudão Apoiam as Reformas Planeadas para a Economia do Sudão

English English, العربية العربية, Français Français

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete da Porta-Voz
Para divulgação imediata
Nota de Imprensa
22 de outubro 2019

 

O Subsecretário David Hale teceu considerações iniciais e o Subsecretário Adjunto para Assuntos Africanos, Tibor Nagy, presidiu o quarto encontro dos Amigos do Sudão em Washington, D.C. a 21 de outubro. O Ministro das Finanças sudanês Ibrahim Elbadawi, em conjunto com representantes do Egipto, França, Alemanha, Reino da Arábia Saudita, Noruega, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido, União Africana, União Europeia, Nações Unidas, Banco de Desenvolvimento Africano, Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, discutiram o modo como a comunidade internacional pode apoiar os esforços de reforma económica do governo transitório do Sudão  liderado por civis. Representantes da Finlândia, Itália e Suécia participaram como observadores.

No final do encontro, o presidente emitiu o seguinte comunicado:

Os Amigos do Sudão expressaram forte apoio ao governo transitório do Sudão liderado por civis e congratularam-se com uma exposição feita pelo Ministro das Finanças sudanês Ibrahim Elbadawi acerca do plano do governo sudanês para reformar a economia do Sudão e responder às expetativas do povo sudanês, cuja revolução popular derrubou o regime de Omar al-Bashir em abril. O plano do Governo do Sudão, de abordagem dupla, busca mobilizar tanto os recursos nacionais como os internacionais de modo a obter melhorias rápidas no serviço social e desemprego de jovens, e, em simultâneo, executar reformas económicas e construir a base para o desenvolvimento a longo prazo. Os parceiros do Sudão comprometeram-se a apoiar os projectos de rápido impato propostos e a iniciar uma análise de reformas potenciais de médio a longo prazo que os Amigos do Sudão poderiam apoiar. Reforçaram também a necessidade de comunicação estratégica, de forma a que o povo sudanês esteja totalmente informado sobre o que o seu governo está tentando alcançar.

Os Amigos do Sudão reconheceram a importância de um envolvimento de parceria coordenada com o governo transitório do Sudão e partilharam informação acerca de formas de assistência que podem fornecer ao longo do próximo ano. Concordaram que um fundo fiduciário de multidoadores poderá ser um bom mecanismo para apoio do programa de reformas económicas do Sudão, sobretudo sobre a necessidade de um programa de segurança em rede mais robusto, de forma a atenuar o impacto das reformas macro-económicas em sudaneses em situação de extrema pobreza. Reiteraram a importância garantir livre acesso humanitário. Perdão de dívida de instuições financeiras internacionais, alívio de dívida e acesso a financiamento concessionário serão cruciais para um crescimento económico sustentável do Sudão. Os parceiros discutiram igualmente a realização de uma conferência de doadores no início de 2020.

Os Amigos do Sudão receberam com agrado o progresso das conversações de paz entre o governo transitório e os grupos de oposição armada do Sudão e encorajaram todas as partes para que participem de boa fé, sublinhando que a paz era um dos principais objetivos da revolução popular. Os Amigos do Sudão consideraram que futuras conversações de paz deverão decorrer entre sudaneses, talvez em Cartum, e alertaram relativamente a partes que se recusam a participar nesta oportunidade única de resolver as causas primárias dos conflitos internos do Sudão. O grupo expressou igualmente o apoio a um novo mandato da União Africana para as negociações de paz.

Alguns parceiros abordaram o fato de os Estados Unidos incluirem o Governo do Sudão na sua lista de  Patrocinadores de Terrorismo (SST) e seu impacto no perdão de dívida por parte de instituições financeiras internacionais, acesso a fundos concessionários e investimento internacional. Os Estados Unidos referiram já ter inciado conversações com o Governo do Sudão sobre os requisitos para uma potencial remoção da designação SST atribuída ao Sudão.

O grupo referiu que uma coordenação e comunicação eficazes entre os Amigos do Sudão e o governo transitório será essencial para uma reforma política e económica bem sucedida. Os Estados Unidos atuarão como secretariado dos Amigos do Sudão até ao próximo encontro desta organização e trabalharão de forma próxima com o  comité de coordenação de doadores do Ministro das Finanças sudanês. Os Amigos do Sudão e o Ministro Elbadawi acordaram que o próximo encontro terá lugar em Cartum e será co-organizado pela Noruega.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.