rss

COLÔMBIA E ESTADOS UNIDOS: FORTALECENDO NOSSAS RELAÇÕES

English English, Español Español

Gabinete da Porta-voz
20/01/2020
08:18 AM EST

 

“Os Estados Unidos valorizam suas relações com a Colômbia – relações fundamentadas no conjunto de princípios que compartilhamos, no compromisso com a democracia, com o Estado de Direito e com os direitos humanos fundamentais.”

— Secretário de Estado dos Estados Unidos, Michael R. Pompeo, 9 de outubro de 2019

O Secretário Pompeo viajará para a Colômbia no dia 19 de janeiro para se pronunciar durante a III Conferência Ministerial de Combate ao Terrorismo no Ocidente, em Bogotá, e participará das reuniões bilaterais com autoridades do alto escalão da Colômbia e de outros países. O Secretário confirmará a parceria robusta entre os Estados Unidos e a Colômbia que tem como objetivo abordar a paz e a segurança dos cidadãos, combater a produção e o tráfico de drogas, e discutir a crise humanitária dos refugiados venezuelanos.

CÚPULA CONTRATERRORISMO PARA CONFRONTAR AMEAÇAS COMUNS

  • Os Estados Unidos se reunirão com 20 nações em Bogotá para ampliar e aprofundar a cooperação bilateral no combate ao terrorismo no Ocidente. O presente engajamento é a continuação das duas Reuniões Ministeriais de Combate ao Terrorismo realizadas em Washington, D.C. em dezembro de 2018, e em Buenos Aires, Argentina, em julho de 2019.
  • A conferência ministerial abordará as atividades do grupo terrorista Hezbollah, que atua no Ocidente com o apoio e por influência do Irã. Nos últimos anos, o Paraguai, o Brasil e o Peru detiveram agentes do Hezbollah por terrorismo, lavagem de dinheiro e outras acusações criminais.
  • Durante o último ano, a Argentina e o Paraguai adotaram regimes de designação e imposição de sanções contra o Hezbollah e outros grupos terroristas, enquanto Honduras e Guatemala declararam sua intenção de designar o Hezbollah. Enaltecemos esse progresso e encorajamos os demais países a seguirem esses exemplos.
  • Os participantes da conferência ministerial discutirão também sobre o acolhimento dos dissidentes do Exército de Libertação Nacional (ELN), das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e dos simpatizantes do Hezbollah na Venezuela, pelo regime de Maduro. Anualmente, desde 2006, o governo dos EUA tem declarado oficialmente a Venezuela como “não tendo cooperado integralmente com os esforços de combate ao terrorismo dos EUA”.
  • Os participantes da conferência ministerial também celebrarão o aniversário de um ano em memória dos 22 cadetes assassinados durante um ataque do ELN contra uma academia policial em Bogotá.

PROMOÇÃO DE OBJETIVOS COMUNS DE SEGURANÇA

  • Os Estados Unidos e a Colômbia desfrutam de uma amizade de longa data.  Nós reconhecemos oficialmente a Colômbia como país independente em 1822, e nossa primeira missão diplomática foi estabelecida na Colômbia em 1823.
  • A Colômbia continua sendo um parceiro robusto dos Estados Unidos nos assuntos de segurança, inclusive no combate ao terrorismo e ao narcotráfico.   Estamos trabalhando em conjunto para reduzir em 50 por cento o cultivo da coca e a produção de cocaína até o final de 2023.  O Presidente Duque anunciou recentemente que, com substancial ajuda dos EUA, a Colômbia erradicou mais de 10 mil hectares de coca em 2019.
  • Os Estados Unidos apoiam vigorosamente a estratégia abrangente da Colômbia, de governo como um todo, na abordagem do problema com coca/cocaína, que está focada no desmantelamento das organizações criminosas, redução do suprimento e demanda de drogas, combate à lavagem de dinheiro, e aumento da presença do Estado e da oportunidade econômica nas áreas rurais carentes, onde o tráfico de drogas floresce.

NOSSA PARCERIA FUNDAMENTADA NOS PRINCÍPIOS DEMOCRÁTICOS APOIA A PAZ E A PROSPERIDADE

  • A Colômbia é um parceiro chave nos atuais esforços dos EUA para auxiliar no retorno da democracia e da prosperidade à Venezuela.  A liderança da Colômbia tem sido essencial na coordenação do apoio regional ao Presidente Interino Juan Guaidó, bem como na condenação do desgoverno de Maduro e na adoção de políticas que isolam o seu regime, inclusive na Organização dos Estados Americanos (OEA) e no Grupo Lima.
  • O governo dos EUA investiu mais de 251 milhões de dólares auxiliando a Colômbia na abordagem da crise da Venezuela, e apoiando o que se estima em 1,63 milhões de refugiados venezuelanos que a Colômbia recebeu.
  • Desde 2016, os Estados Unidos concederam mais de um bilhão de dólares em apoio direto e indireto para implantação da paz – sem dúvidas, a maior contribuição dentre os intervenientes internacionais.
  • Os Estados Unidos são o maior parceiro comercial e de investimento da Colômbia, com grandes investimentos nas áreas de mineração e manufatura. Na América Latina, a Colômbia é o terceiro maior parceiro comercial, o que representou um comércio bilateral de 29 bilhões de dólares em 2018.  O número de empregos gerados pelas filiais de empresas americanas na Colômbia chega mais de 90 mil.
  • Estamos alavancando mutuamente o sucesso sob o Acordo de Promoção Comercial entre Estados Unidos e Colômbia (U.S.-Colombia Trade Promotion Agreement, CTPA). Com o CTPA, as exportações agrícolas dos EUA ultrapassaram o dobro, alcançando o nível sem precedentes de 2,91 bilhões em 2018.  Esse comércio beneficia tanto o povo americano quanto o colombiano.

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.