rss

Entrega de assistência humanitária vital aos venezuelanos necessitados

English English, Español Español

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Folha Informativa
Escritório de População, Refugiados e Migração (PRM)
4 de fevereiro de 2020

 

  • Desde 2017, os Estados Unidos forneceram mais de US$ 656 milhões em ajuda à crise da Venezuela, dos quais cerca de US$ 473 milhões são em assistência humanitária para cerca de 4,8 milhões de venezuelanos que foram forçados a fugir de seu país e àqueles que estão enfrentando graves necessidades humanitárias dentro da Venezuela.  O Escritório de População, Refugiados e Migração (PRM) do Departamento de Estado dos EUA destinou mais de US$ 208 milhões desse total para fornecer comida e abrigo aos venezuelanos, registrá-los nos serviços e integrá-los nos países de acolhimento.
  • Nosso financiamento apoia o trabalho de organizações internacionais e não governamentais para complementar os esforços dos governos locais para proteger e ajudar os venezuelanos dentro da Venezuela e nos 16 países de acolhimento, incluindo Brasil, Colômbia, Equador, Peru e várias nações do Caribe.
  • Fornecemos essa assistência para promover a estabilidade regional e ajudar a atender as necessidades dos venezuelanos perto de suas casas, para que, quando houver as mudanças na Venezuela, eles possam voltar com segurança e voluntariamente. 

O que pode ser realizado com mais de US$ 208 milhões em assistência humanitária?  Aqui estão apenas alguns exemplos de como nosso apoio ajuda centenas de milhares de refugiados e migrantes venezuelanos:

1) Abrigos, alimentos e suprimentos urgentes

Em 2019, trabalhamos com nossos parceiros para fornecer abrigo, comida e outros itens que salvam vidas para refugiados e migrantes venezuelanos. Com nosso apoio, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) forneceu abrigo temporário para mais de 53.000 venezuelanos na região entre abril de 2018 e setembro de 2019.  Em agosto de 2019, a Fundação Pan-Americana para o Desenvolvimento (PADF), parceira do PRM, havia fornecido apoio operacional, logístico e técnico a sete abrigos para migrantes na Colômbia, beneficiando 9.584 venezuelanos. Nossas contribuições ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) forneceram assistência em dinheiro, kits infantis e kits de higiene, água potável e transporte. Na fronteira norte do Peru com o Equador, o ACNUR e a OIM ajudaram cerca de 100 venezuelanos por dia com suas necessidades humanitárias urgentes.

2) Estatuto legal e asilo  

O registro de refugiados e migrantes venezuelanos é um primeiro passo essencial para garantir o acesso aos serviços básicos em suas comunidades de acolhimento. Nosso apoio aos parceiros internacionais ajudou a facilitar esse processo. De setembro de 2018 a agosto de 2019, a PADF, parceira do PRM, deu orientações sobre direitos jurídicos básicos a 10.825 venezuelanos na Colômbia. Em dezembro de 2019, o Brasil anunciou que reconheceria os requerentes de asilo venezuelanos como refugiados, acelerando o processamento de asilo para a maioria dos cerca de 119 mil requerentes de asilo venezuelanos no Brasil.  Até o final do ano, o Brasil concedeu o status de refugiado a mais de 21 mil venezuelanos com o apoio do ACNUR, financiado pelo PRM. A OIM presta assistência técnica ao Governo do Equador que inclui melhorias no hardware e software em 15 Centros de Apoio para Migrantes em todo o país usando dados biométricos. Somente em setembro de 2019, esses centros atenderam 63.062 venezuelanos no Equador.

 3) Integração  

Nosso apoio ajudou as organizações parceiras a lançar campanhas de promoção de inclusão social nacionais e regionais em rádio, televisão e mídia social para prevenir e responder à discriminação contra venezuelanos e outros migrantes vulneráveis e requerentes de asilo. Com o financiamento dos EUA, a OIM e o ACNUR promoveram a integração social entre venezuelanos e peruanos por meio da campanha #TuCausaEsMiCausa (“Sua Causa é a Minha Causa”, um jogo de palavras com o prato nacional peruano “causa” e a gíria peruana para “amigo”). Por meio da Plataforma Regional da ONU para a Resposta à Venezuela, liderado pelo ACNUR e pela OIM, as campanhas e atividades atingiram mais de 75 milhões de pessoas. Os parceiros do PRM no Brasil ajudaram a reassentar dezenas de milhares de refugiados e migrantes da fronteira norte com a Venezuela em cidades em todo o país com maior acesso a serviços públicos e oportunidades de integração.

4) Emprego

Com foco em soluções de longo prazo para venezuelanos vulneráveis, o PRM financiou programas de treinamento técnico, de colocação de empregos e de trabalho autônomo. Em setembro de 2019, o OIM deu apoio a 2.657 venezuelanos com atividades de geração de renda na Argentina, Chile, Colômbia, Peru, República Dominicana, Guiana e México. No Chile, 1.494 venezuelanos participaram de uma feira de trabalho para a integração socioeconômica de refugiados e migrantes. Quarenta e sete empresas locais e internacionais ofereceram empregos que vão desde engenheiros e contadores até seguranças, auxiliares e técnicos.

Em La Guajira, na Colômbia, a PADF, parceira do PRM, começou a operar uma cooperativa em que refugiados venezuelanos coletam plásticos para reciclagem em uma empresa operada por um colombiano repatriado por meio de seu projeto “Integrando Horizontes”. Por meio do projeto, cerca de 70 toneladas de lixo reciclável foram recolhidas e retiradas das ruas de Riohacha, La Guajira, por mês, e os participantes puderam ganhar de 35 a 40 mil pesos colombianos por dia (cerca de US$ 10 a 12 por dia) para atender às suas necessidades básicas, bem acima do salário mínimo mensal na Venezuela.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.