rss

Secretário de Estado Michael R. Pompeo Declarações à Imprensa

English English, العربية العربية, Français Français, हिन्दी हिन्दी, Русский Русский, Español Español, اردو اردو

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Gabinete da Porta-Voz
Para Divulgação Imediata
Declarações
17 de março, 2020

 

Sala de Conferências de Imprensa
Washington, D.C.

SECRETÁRIO POMPEO:  Boa tarde a todos. Como sabem, o Governo Trump continua a investir fortemente no combate ao vírus Wuhan e na proteção do povo americano. Todos estamos muito empenhados aqui no Departamento de Estado nesta missão crucial. Falarei um pouco disso e também aceito responder a algumas questões sobre o que estamos a fazer aqui no Departamento de Estado.

Dito isto, quis vir aqui hoje para reforçar que o Departamento de Estado continua enfocado numa extensa série de assuntos, ainda que estejamos a enfrentar esta pandemia global. Nenhuma outra nação se empenha mais na defesa da vida, da liberdade e na busca da felicidade quanto nós aqui nos Estados Unidos, e estamos a fazer esse trabalho em todo o mundo. O trabalho prossegue. Era isso que queria partilhar convosco hoje.

Comecemos por um dos temas mais importantes, o terrorismo. O Departamento de Estado anuncia hoje a nossa intenção de atribuir a Amir Muhammad Sa’id Abdal-Rahman al Mawla a designação especial de terrorista global. Ele esteve previamente activo na al-Qaida no Iraque e é conhecido por torturar as inocentes minorias religiosas Yezidi. Foi nomeado líder do ISIS após termos eliminado Abu Bakr al-Baghdadi no ano passado. Destruímos o califado e continuamos empenhados na derrota sólida do ISIS, independentemente de quem designem como seu líder.

Prosseguindo com as designações, e sendo que a nossa liderança está a tentar estancar a circulação de grupos terroristas, o Departamento de Estado tenta hoje também sancionar nove entidades com base na África do Sul, em Hong Kong, na China, bem como três indivíduos iranianos, todos por comprovadamente terem estado envolvidos em transações significativas de compra, aquisição, venda, transporte ou comercialização de produtos petroquímicos do Irão, o estado que lidera o patrocínio do terror no mundo.

Esta ação inclui a designação da companhia de investimento da segurança social, das forças armadas do Irão, e do seu diretor como estando a usar os seus recursos para investir em entidades sob sanção. Também gostaria de dizer hoje que em resposta à escalada nuclear inaceitável do Irão, o Departamento de Comércio vai adicionar cinco cientistas nucleares do Irão à lista de entidades.

Estes cinco indivíduos estiveram envolvidos no programa de armas nucleares do Irão anteriormente a 2004, conhecido como Programa Amad, e continuam a serviço do regime ainda hoje. Após o término do Plano Amad, o Irão continua a manter os seus registos da era Amad e o seu quadro de cientista nucleares, que incluem estes indivíduos.

Permanecem muitas questões por responder acerca das atividades nucleares do Irão no passado. Estas novas listagens hoje produzidas pelo Departamento do Comércio reafirmam a importância de exigir uma responsabilização completa e honesta por parte do Irão relativamente às suas atividades nucleares do passado.

Quero igualmente chamar a atenção para a campanha de desinformação do regime iraniano relativamente à origem do vírus de Wuhan. Em vez de se focarem nas necessidades do povo iraniano e aceitarem as genuínas ofertas de apoio, os responsáveis iranianos mentiram acerca do surto do vírus Wuhan durante semanas.

A liderança iraniana tenta evitar responsabilidade pela sua governação altamente incompetente e mortífera. Tristemente, o povo iraniano sofre com estas mentiras há 41 anos. Eles sabem a verdade: O Vírus Wuhan é um assassino e o regime iraniano é cúmplice.

Estamos a tentar ajudar. Continuamos a oferecer ajuda ao Irão de várias formas e continuaremos a fazê-lo.

Temos um canal humanitário aberto para faciliar transações legítimas, ao mesmo tempo que  exercemos a nossa campanha de máxima pressão para negar dinheiro a terroristas.

Damos assistência à AIEA, a guardiã nuclear, que tenta assegurar que o Irão continue a cumprir o Tratado de Não Proliferação Nuclear.

Atribuímos um milhão de dólares através da AIEA para serem disponibilizados a estados-membros que solicitaram apoio com os kits de testes ao coronavírus e formação.

E, num espírito de gesto humanitário, os Estados Unidos continuam a apelar que o Irão liberte imediatamente todos os americanos injustamente detidos nesse país. Continuaremos a responsabilizar o regime pelo seu terror e a dar assistência ao povo iraniano.

Seguindo para a Síria, os nossos esforços para ajudar o povo sírio:

Hoje os Estados Unidos designaram o Ministro da Defesa do regime de Assad, o Tenente-General Ali Abdullah Ayoub, responsável por perpetuar a violência e desastrosa crise humanitária na Síria. As suas ações deliberadas desde dezembro de 2019 impediram um cessar-fogo na Síria. Esta obstrução resultou no deslocamento de quase um milhão de pessoas em desesperada necessidade de ajuda humanitária em pleno inverno em Idlib.

As forças do regime de Assad, apoiadas pelas forças russas e iranianas, foram responsáveis pelos contínuos bombardeamentos que destruíram escolas e hospitais e mataram civis, incluindo profissionais médicos e agentes de intervenção primária que arriscavam as suas vidas para salvar outras pessoas na Síria.

Continuamos a apelar para o fim imediato do massacre e para uma solução política para o conflito sírio.

Além disso, cremos que a Rússia matou dezenas de pessoal militar turco no decurso das suas operações militares, estamos ao lado da nossa aliada da NATO, a Túrquia, e continuaremos a considerar medidas adicionais para apoiar a Túrquia e pôr fim à violência em Idlib e na Síria, de forma geral.

Passando para a CIC, um pseudo-tribunal que tem revelado ser um puro órgão político:

Como disse na última vez que aqui estive diante de vós, opomo-nos a qualquer esforço por parte da CIC para exercer jurisdição sobre funcionários americanos. Não toleraremos as suas tentativas injustas e inoportunas de investigar ou julgar americanos. Quando os nossos funcionários são acusados de crimes, enfrentam a justiça no nosso país.

Soube recentemente que o chefe de gabinete do procurador, Sam Shoamanesh, e o diretor da divisão judicial, complementaridade e cooperação, Phakiso Mochochoko, estão a colaborar na agilização dos esforços do  Procurador Fatou Bensouda para usar o seu tribunal para investigar americanos. Estou agora a examinar esta informação e a considerar quais serão os próximos passos dos Estados Unidos em relação a estes indivíduos e a todos aqueles que colocam os americanos em risco.

Queremos identificar os responsáveis por esta investigação tendenciosa e os seus membros de família que podem querer viajar para os Estados Unidos ou envolver-se em atividades incompatíveis com a nossa intenção de proteger os americanos.

Este tribunbal, a CIC, é uma vergonha. Está a expor e – nós estamos a expor e a confrontar os seus abusos, e este é um verdadeiro exemplo da liderança americana para assegurar que as instituições multilaterais de facto desempenham as missões para as quais foram designadas.

Uma breve nota sobre a América do Sul e então responderei a algumas questões:

Os Estados Unidos estão a monitorizar de perto a contagem de votos na Guyana, que ocorreu – as eleições decorreram a 2 de março. Juntamo-nos à OEA, à Commonwealth, à UE, CARICOM, e outros parceiros democráticos na exigência de uma contagem exata. Louvamos o papel da CARICOM na busca de uma resolução rápida, democrática, e é importante frisar que indivíduos que procuram se beneficar através da fraude eleitoral e formar governos ilegítimos, que os regimes serão sujeitos a uma série de sérias consequências por parte dos Estados Unidos.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.