rss

Coletiva por Telefone com Funcionários Sêniores do Departamento de Estado Sobre o COVID-19: Atualizações Sobre o Impacto na Saúde e a Assistência a Cidadãos Americanos no Exterior

English English, Español Español

Briefing Especial
Gabinete Da Porta-Voz
23 De Março De 2020

 

MODERADOR 1: Ok, no fim do discurso de abertura, se vocês quiserem fazer uma pergunta, enviem-me uma mensagem de texto em [redigido] e eu adicionarei vocês à fila. Com isso, vou passar para o [Moderador Dois].

MODERADOR 2: Ei, pessoal. Obrigado por participarem da chamada hoje. Nesta semana, organizaremos uma série de briefings de diversos funcionários do Departamento de Estado para informá-los sobre todas as coisas diferentes que o departamento está fazendo em resposta a esta pandemia em andamento. O briefing de hoje será sobre o contexto. A atribuição deverá ser feita a altos funcionários do Departamento de Estado. Vamos começar com algumas observações primeiro – do nosso primeiro entrevistado, que é [Oficial Sênior do Departamento de Estado 1], e ele será seguido pelo [Oficial Sênior do Departamento de Estado 2], e no fim teremos um tempo para suas perguntas. Precisamos concluir em no máximo 30 minutos, ok?

Então, com isso, vou passar para o [Oficial Sênior do Departamento de Estado].

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Boa tarde a todos. [Oficial Sênior do Departamento de Estado] aqui. A pandemia do COVID-19 é um desafio global sem precedentes, que afeta um grande número de americanos no exterior. Aqui no Departamento de Estado, estamos lutando para enfrentar esse desafio. Estamos trabalhando o tempo todo para trazer de volta para casa cidadãos dos EUA que estão presos no exterior. Nossos funcionários consulares destacados no exterior e os locais – seus colegas funcionários locais – trabalham noite e dia para ajudar os americanos a embarcarem em voos. E, como [o Moderador 2] acabou de dizer, há uma força-tarefa aqui em Washington apoiando esse esforço 24 horas, sete dias por semana.

Embora tenhamos criado a força-tarefa na semana passada, esse não foi nosso primeiro esforço para levar os americanos para casa durante esta pandemia. Evacuamos mais de 800 pessoas de Wuhan e mais de 300 do Diamond Princess no Japão. Até o momento, no total, trouxemos para casa mais de 5.000 americanos de 17 países e estamos trazendo para casa outros milhares nos próximos dias e semanas. Este é realmente um esforço sem precedentes para trazer americanos de todas as regiões do mundo em meio a mudanças constantes e rápidas.

Pedimos a todos os americanos que viajam para o exterior a qualquer momento, mas principalmente agora, que se inscrevam no Programa de Inscrição do Viajante Inteligente em step.state.gov. É assim que as embaixadas comunicam informações importantes sobre saúde e segurança aos cidadãos dos EUA em tempo real. Se você não estiver envolvido – desculpe, inscrito – poderá estar perdendo as informações mais atualizadas da embaixada durante esta crise.

E gostaria de relatar um pouco de uma breve troca que tive com um de nossos embaixadores há apenas uma hora em uma das regiões que ainda não foi fortemente afetada pela crise. O embaixador me perguntou que conselho devemos dar – ele deveria dar aos cidadãos dos EUA, e eu disse que ele deveria dizer algo como: “Avalie se você está pronto para passar um período indeterminado de tempo onde está agora ou se você quer voltar aos Estados Unidos para esperar os próximos acontecimentos? Se quiser voltar, faça-o agora”, e é preciso salientar isso. Esse é o nosso conselho para as pessoas: provavelmente ainda existem oportunidades comerciais. Inscreva-se no STEP para que, se tivermos que ajudá-lo a viajar em voos subsequentes ou meios de transporte subsequentes, possamos fazê-lo.

E agora passarei a palavra ao [Oficial Sênior do Departamento de Estado 2] e estarei pronto para responder às suas perguntas. Muito obrigado.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2: Obrigado, [Oficial Sênior do Departamento de Estado 1]. Aqui é [o Oficial Sênior do Departamento de Estado 2]. O Departamento de Estado permanece focado principalmente em nossa força de trabalho de 75.000 pessoas em mais de 220 locais em todo o mundo e está trabalhando em colaboração estreita com nossos colegas e funcionários consulares para ajudar os cidadãos americanos no exterior, estejam eles esperando, buscando uma carona para casa ou infectados com coronavírus. Fazemos parte de um esforço interinstitucional mais amplo, e qualquer movimento de cidadãos americanos ou chefe de pessoal de missão durante um surto de pandemia é complexo e requer a parceria de HHS, DHS e outros. Agora, passo para suas perguntas.

MODERADOR 2: Ok. Vamos abrir para algumas perguntas, então.

MODERADOR 1: Ok, a primeira pergunta é de Matt Lee.

PERGUNTA: Olá. Obrigado a todos por essa coletiva. Gostaria de perguntar: você tem um número total atualizado de funcionários do Departamento de Estado que tiveram resultado positivo? E quando você diz que milhares de americanos estão voltando para casa nas próximas semanas, isso – isso se deve aos seus esforços – na organização de voos fretados – ou eles estão voltando por conta própria? Obrigado.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Deixarei [o oficial sênior do Departamento de Estado 2] responder a primeira pergunta e eu responderei a segunda. [Oficial Sênior do Departamento de Estado 1] Passo a palavra.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 2: Bem, os números domésticos são mais fáceis de quantificar apenas com base nas comunicações com postos no exterior. Obviamente, esta é uma situação que evolui muito rapidamente, especialmente no exterior. Posso dizer que ainda temos um dígito aqui nos Estados Unidos com casos – um, dois ou três em Washington; Houston; Boston; Nova York; Quantico, Virgínia; e Seattle. Portanto, os próprios números são – no exterior, ainda temos dois dígitos. Observamos menos de 30 espalhadas por 220 postos em todo o mundo e isso continua sendo um desafio. Obviamente, no caso desse tipo de surto, se soubéssemos antes qual era a epidemiologia e tivéssemos alguns desses dados, talvez tivéssemos uma ideia melhor de como isso se moveria em nossos postos no exterior. Mas estamos acompanhando o ritmo. E, novamente, o número neste momento é inferior a 30. Encerrado.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Sim, oi, [Oficial Sênior do Departamento de Estado 1] aqui. Estamos encorajando as pessoas, como eu disse no início, a se valer de meios comerciais enquanto eles ainda estão disponíveis. É o caso de várias partes do mundo, mas essa janela está se fechando rapidamente. Então, estamos usando uma variedade de meios diferentes. Por exemplo, na América Central, tivemos algumas embarcações militares do Departamento de Defesa dos EUA, aeronaves que retornaram e que trouxeram algumas pessoas de volta com base no espaço disponível. Por exemplo, em Honduras, acho que o número chegou a 90 em algum momento no fim da semana passada ou no fim de semana. Também estamos facilitando através do Bureau Econômico, estamos ajudando a autorizar voos fretados em alguns lugares. Então, alguns grupos missionários pediram nossa ajuda para obter as permissões necessárias para a entrada de seus aviões fretados.

Estamos usando em alguns casos – e espero que isso aconteça de maneira mais expansiva à medida que saímos daqui – estamos usando o que é chamado de K Fund. É um fundo especial autorizado pelo Congresso para nos permitir atender emergências inesperadas. Já organizamos uma série de voos no K Fund, voos fretados do K Fund, e haverá mais voos a partir de hoje.

E fico por aqui se isso responde à pergunta. Desculpe – deixe-me acrescentar. Estamos rastreando cerca de 13.500 cidadãos dos EUA no exterior que procuram ajuda para serem repatriados. E com isso, encerro. Obrigado.

MODERADOR 1: A próxima pergunta é da Nike, da Voice of America.

PERGUNTA: Muito obrigada por esta entrevista. Você mencionou que existem 13.500 americanos. Esse é o número estimado de americanos presos no exterior? E você tem os números de diferentes áreas geográficas? E, finalmente, quantos americanos se inscreveram no STEP? Obrigada.

OFICIAL SÊNIOR DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Nike, pergunta muito boa. Não tenho os números exatos para você, mas deixe-me dizer o seguinte: estimamos que há cerca de 10 milhões de cidadãos dos EUA morando no exterior. Só o México tem de 1 milhão a 1,5 milhão de cidadãos norte-americanos vivendo lá. Mas esse não é o universo inteiro de pessoas que querem retornar aos Estados Unidos. Uma vasta maioria dessas pessoas reside nesses países; eles estão em casa nesses países. As pessoas que procuram nossa ajuda no momento são o que podemos considerar expatriados ou turistas que estão temporariamente no exterior. Eles são aqueles cujas casas estão aqui nos Estados Unidos, em outras palavras, estão tentando voltar para casa para enfrentar esta crise.

Portanto, não estamos analisando uma população total de evacuados em potencial de mais de 10 milhões. É muito, muito menos do que isso. Como eu disse, temos até agora 13.500 cidadãos dos EUA que solicitaram alguma forma de assistência e se registraram conosco buscando alguma forma de assistência para voltar para casa.

Desculpe, quanto à pergunta sobre o total de inscritos no STEP, teremos que responder depois sobre isso. Não tenho esse número na ponta dos dedos. Passo a palavra.

MODERADOR 1: A próxima pergunta é de Arshad Mohammed, da Reuters.

PERGUNTA: Obrigado pela coletiva. Duas coisas. Primeiro, para o oficial sênior, gostaria que o senhor comentasse a carta do senador Menendez de ontem, na qual ele pede que o governo invoque as autoridades do programa de prontidão da Frota Aérea da Reserva Civil para facilitar o fretamento desses voos e trazer as pessoas de volta e na qual ele também pede que as Forças Armadas ou o Departamento de Defesa disponibilizem aeronaves militares.

Em segundo lugar, para o oficial sênior 2, como você deve saber, a embaixadora dos EUA na África do Sul, embaixadora Marks, entrou em quarentena voluntária na quinta-feira, pelo menos quatro dias depois de voltar para a África do Sul dos Estados Unidos, depois de passar algum tempo em um navio da Marinha dos EUA. Por que ela decidiu fazer quarentena na quinta-feira? Aconteceu alguma coisa entre segunda e quinta-feira que a levou a fazer isso, algum tipo de exposição? E, se não, por que ela não se colocou em quarentena imediatamente após retornar à África do Sul? Ou, de fato, por que ela retornou à África do Sul em primeiro lugar se teve uma possível exposição ao vírus? Obrigado.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Obrigado, Arshad. Com relação à MilAir, no que diz respeito ao uso desses ativos, estamos conversando com o Departamento de Defesa através do que é chamado de ExecSec – processo ExecSec. Essa é uma das opções que podemos encontrar no caminho. No momento, porém, estamos descobrindo que – com licença – que a opção de voos fretados através do Fundo K, através de outros mecanismos que temos aqui no Departamento de Estado, é uma maneira eficiente de fazer isso.

Como eu disse, também estamos ajudando as transportadoras privadas a aumentar o número de voos que têm. Então, por exemplo, indo para o Peru, nosso Departamento Econômico está facilitando o diálogo entre as agências do governo dos EUA envolvidas no fornecimento da aprovação regulatória, enquanto nossa embaixada em Lima está trabalhando com as autoridades peruanas na obtenção das aprovações regulatórias necessárias. E assim podemos aumentar a capacidade dessa maneira. Este é um – tudo isso é um clichê. Esse é mais um esforço para criar maneiras de trazer as pessoas de fora e, portanto, nenhuma opção é descartada em (inaudível) e – fora.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DO ESTADO 2: Olá, [Oficial Sênior do Departamento de Estado 2] (inaudível).

MODERADOR 1: A próxima pergunta é de Carol Morello.

PERGUNTA: Oi. Obrigada pela coletiva. Você pode me dizer –

PERGUNTA: Espere um minuto. Espere um minuto. E a pergunta que eu tinha em relação à embaixadora Marks e por que ela não se auto-isolou antes da quinta-feira? Eu gostaria de uma resposta, por favor.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DO ESTADO 2: Tudo bem. Este é [Oficial Sênior do Departamento de Estado 2]. Não posso falar sobre um caso individual, mas posso dizer a você de uma perspectiva política e da maneira como abordamos os diferentes requisitos de quarentena e isolamento em mais de 220 locais ao redor do mundo. Primeiro, não estamos rastreando nenhuma exposição específica a qualquer indivíduo específico no nível de embaixador, mas posso dizer que, quando qualquer viajante do Departamento de Estado retorna a um país anfitrião, respeitamos –respeitamos os requerimentos dos outros países. É a coisa certa a se fazer, e acho que esperamos que seus diplomatas façam o mesmo quando vierem para os Estados Unidos.

MODERADOR 2: Próxima pergunta.

PERGUNTA: No que diz respeito ao número de funcionários do Departamento de Estado em consulados e embaixadas no exterior, você pode nos dizer quantas partidas autorizadas realmente ocorreram até agora e se vocês desenvolveram algum plano de contingência para o pessoal se a situação piorar?

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Não ouvimos o fim da pergunta, desculpe.

PERGUNTA: Você tem algum tipo de plano de contingência, como uma estratégia de saída, para o pessoal das embaixadsa, se a situação piorar e alguns deles estiverem em países onde as fronteiras estão fechadas e não há voos? Vocês estão planejando evacuar a equipe se necessário?

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Sim, e já o fizemos em alguns lugares onde as viagens aéreas se tornaram mais complicadas. Quando fizermos isso, se precisarmos fretar uma aeronave para trazer o que chamamos de chefe de missão e houver espaço adicional disponível no voo, disponibilizaremos esses assentos adicionais para cidadãos dos EUA que pretendem sair desses países. Então, essa é uma situação dinâmica em andamento, à medida que o vírus se espalha e mais e mais postos recebem autorização ou ordem para voltar, sim, estamos levando em consideração isso. Estamos trazendo esses oficiais de volta para os Estados Unidos e, em muitos casos, certamente sei que no Bureau de Assuntos Consulares, estamos colocando essas pessoas para trabalhar aqui, auxiliando a força-tarefa, como mencionamos anteriormente, ou ajudando de alguma forma ao lidar com esta crise mundial. Prossiga.

PERGUNTA: E vocês têm números de partidas que foram autorizadas e partidas que foram ordenadas? Quantas pessoas voltaram por causa disso até agora?

OFICIAL SÊNIOR DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Teremos que voltar a essa pergunta em outro momento. Não tenho esses números na ponta dos dedos. Peço desculpas.

PERGUNTA: Obrigado.

MODERADOR 1: A próxima pergunta é de Christina Ruffini.

PERGUNTA: Olá, pessoal. Você pode dizer quantos voos fretados do Fundo K existem e se isso inclui os estudantes de medicina presos no Peru? Eu sei que houve muitas alegações de que há um voo pronto para buscá-los e eles estão aguardando a solução de uma burocracia do Departamento de Estado.

E então, o que devemos dizer às pessoas que estão nos contatando, francamente, presas em outros países e dizendo que não estão obtendo nenhuma resposta? Eles devem entrar em contato com a embaixada, entrar em contato com a companhia aérea? E devemos dizer a eles que eles – haverá uma maneira de levá-los para casa de uma maneira ou de outra em algum momento, ou vocês não podem garantir isso para todos os países do mundo neste momento? Obrigada.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Sim. Em relação às pessoas no Peru, eu peço que você elucide um pouco a questão da burocracia. Acho que sei ao que você está se referindo, mas quero ter certeza de que estou respondendo à sua pergunta.

PERGUNTA: Os estudantes de medicina – houve um – acredito que na universidade ou em uma empresa privada disseram haver um avião que poderia buscá-los e eles estão dizendo que estariam esperando e esperando a liberação correta que estaria aguardado no Departamento de Estado. Isso é algo que está sendo trabalhado?

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Sim, não conheço os detalhes do caso, mas é a isso que me referi anteriormente. O Departamento de Estado, o Bureau Econômico daqui, está trabalhando o tempo todo, ajudando a reunir as autorizações da FAA, CBP etc., as regulações da TSA para esse fim, e quaisquer que sejam as autorizações regulatórias do outro lado. Nós estamos – nós, no Departamento de Estado, estamos facilitando as comunicações, então pode ser que ainda não tenhamos conseguido a autorização completa. Eu ouvi meus colegas do Bureau Econômico dizerem que, pelo menos nessa ponta, no lado dos EUA, todo mundo está pronto para agir muito rapidamente e está se movendo com agilidade. Em alguns casos, [o problema] está do outro lado. Nesse caso, talvez no Peru ainda não tenhamos necessariamente toda a autorização necessária.

Precisamos estar cientes do fato de que a capacidade peruana de lidar com esses voos é muito limitada. Eles foram – devido a infecções por COVID em seu aeroporto civil em Lima, eles tiveram que fechar o aeroporto e estão operando com as forças armadas (inaudível) do outro lado do aeroporto, que tem muito, muito, muito menos capacidade, eles têm capacidade para processar muito menos voos. Não conheço os detalhes deste caso, mas talvez a explicação seja que os peruanos ainda não concederam todas as autorizações necessárias.

Você perguntou sobre pessoas que não tiveram contato com o departamento. Espero que eles tenham se inscrito no STEP e sinceramente espero que tenham ouvido de volta o que chamamos de mensagem MASCOT. As mensagens são enviadas aos inscritos no STEP. Como teste do sistema, me inscrevi no STEP ontem à noite dizendo que estava no Peru e ficaria lá pelos próximos 10 dias, e já recebi duas mensagens da embaixada. Portanto, se você estiver outra versão, seria bom saber.

Obrigado. Passo a palavra.

MODERADOR 2: [Oficial Sênior do Departamento de Estado 1], você também pode tocar na linha de chamada adicional?

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Oh, desculpe. Você está absolutamente correto. E, puxa, me dê um momento. Eu preciso procurar o número. Eu não tenho isso na minha frente. Eu vou… Não, veja só. Sim, eu quero. Continuo trabalhando com as mesmas notas.

Ok, temos um call center em funcionamento. Deixe-me dar esse número. É 888-407-4747, 888-407-4747. Isso é para ligações de dentro dos Estados Unidos. Se alguém estiver ligando do exterior, poderá ligar para o comercial 202-501-4444, 202-501-4444.

PERGUNTA: E desculpe. Você poderia explicar qual é a mensagem para as pessoas no exterior? Você está confiante de que haverá um caminho para todos que desejam voltar para casa em algum momento ou você ainda não pode fazer essa promessa?

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Bem, estamos ouvindo sobre pessoas que estão em locais muito remotos em partes muito remotas do mundo. É complicado. Quero dizer, voltando ao caso do Peru, estamos rastreando várias pessoas que estão em Iquitos. A única maneira de entrar e sair de Iquitos é por via aérea. Estamos trabalhando com os peruanos para tentar obter permissão – e os peruanos pararam as viagens aéreas internas. Estamos tentando obter permissão para transportar essas pessoas por via aérea para Lima, para que possamos trazê-las para fora.

Já ouvi falar de pessoas em áreas remotas no Peru, em Samoa, em Banda –em Aceh, na Indonésia. Por isso, hesito em dar uma garantia de que podemos transportar cada pessoa. Estamos movendo um número muito grande de pessoas e continuaremos esse esforço. Prossiga.

MODERADOR 2: Sim. Para reiterar o ponto do o início da chamada, esse é um esforço sem precedentes. Estes são tempos históricos, e o departamento está enfrentando o desafio. A segurança e o bem-estar dos cidadãos dos EUA no exterior são nossa primeira prioridade e continuaremos trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, na tarefa que nos foi dada pelo povo americano.

Próxima questão.

MODERADOR 1: A próxima pergunta é de Francesco.

PERGUNTA: Olá, obrigado pela coletiva. Duas questões. Eu só queria esclarecer. Você mencionou 5.000 pessoas já repatriadas. São pessoas que foram trazidas para casa através de fretamentos ou voos do Departamento de Defesa – organizados pelo Departamento de Estado? Isso está correto?

E, então, quando você mencionou 13.500, o que faz parte exatamente desse número?

E outra coisa. O presidente falou ontem sobre o caso de uma jovem que foi trazida de volta, mas ele não quis dar mais detalhes. Você tem mais detalhes sobre aquela mulher que foi terrivelmente maltratada e depois trazida de volta aos EUA? Obrigado.

MODERADOR 2: Não temos nada sobre esse último ponto, e eu passo a palavra aos entrevistados para falar sobre a outra questão.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Obrigado. Sim, citei cerca de 5.700 pessoas que foram trazidas de volta. A grande maioria – a grande maioria voltou através de voos fretados do Departamento de Estado – aviões fretados pelo Departamento de Estado. Cerca de 800, mais de 800 em Wuhan, na China, no fim de janeiro, mais de 300 em Yokohama, no Japão, aproximadamente 1.200 saíram do Marrocos na semana passada. Tivemos outros – tivemos outras pessoas saindo da América Central recentemente. Estamos analisando agora mais de 16 voos nos próximos cinco dias e, neste momento, temos cerca de 1.600 passageiros – mais de 1.600 passageiros identificados para esses voos. Há espaço para mais.

Esse número de 13.500 que dei, essas são as pessoas que acessaram nossos postos em todas as partes do mundo, dizendo que estão interessadas em nossa ajuda. Então, o que fazemos quando temos espaço em um voo saindo, procuramos essas pessoas e dizemos que temos espaço, um avião saindo às X horas no dia Y, se você estiver interessado, avise-nos. Em seguida, priorizamos as pessoas, levando em conta, realmente, a vulnerabilidade. Se tivermos alguém com 70 anos de idade com uma doença subjacente, como diabetes ou doença cardíaca, essa pessoa terá mais prioridade em um desses voos do que os jovens saudáveis ​​de ​​20 anos de idade.

Você perguntou – espero ter respondido suas perguntas. Caso contrário, me diga. Prossiga.

PERGUNTA: Você respondeu. Obrigado.

MODERADOR 1: A próxima pergunta é Tracy Wilkinson.

PERGUNTA: Oi, sim, obrigada. Algumas coisas. Apenas acompanhando Francesco, os 13.500, quantos países estão representados? O voo do K Fund – acho que você meio que respondeu isso ao dizer que teremos 16 voos nos próximos dois dias – todos esses são voos fretados, correto?

E para [o oficial sênior do Departamento de Estado 2], eu queria perguntar: você mencionou testar pessoas do Departamento de Estado no exterior. Você já enfrentou a mesma escassez de testes e problemas que os Estados Unidos estão enfrentando? Obrigada.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Sim, desculpe. Não posso dizer exatamente quais países estão envolvidos no número de 13,5 mil que dei, mas são de todas as partes do mundo. Tenho certeza de que esses países estão especificado em algum lugar –

PERGUNTA: Vários países, temos um número? Vários países –

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Eu vou ter que te responder – eu vou te dar o número de países depois.

PERGUNTA: Ok, ok.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Provavelmente – nem todos os países do mundo. São certamente de todas as regiões do mundo, mas um número específico de países que não tenho.

K Fund – você perguntou sobre o K Fund e o fretamento. Sim, estamos agendando –são aviões fretados – teremos aviões fretados pelo K Fund – nos próximos cinco dias, aproximadamente. Em alguns outros casos, somos – são aviões do Departamento de Defesa. Também estamos trabalhando com o Departamento de Segurança Interna. Eles estão pilotando aviões para a América Central e estão preparados para trazer as pessoas de volta com essas aeronaves. Portanto, é uma variedade de aeronaves diferentes do governo dos EUA. Prossiga.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DO ESTADO 2: E [Oficial Sênior do Departamento de Estado 2]. No que diz respeito aos testes, existem essencialmente três cenários no exterior. No primeiro cenário, trata-se de um país muito moderno – Reino Unido, França e assim por diante, e confiamos em testes na infraestrutura médica do país anfitrião, e não tivemos problemas em testar – em fazer os testes com o pessoal da missão.

No outro extremo do espectro, existem locais que não têm testes e esses – não temos como enviar testes para nossas embaixadas no exterior. E assim, nos países em que não há testes no país anfitrião, se temos um caso que estamos acompanhando, e até o momento não temos, a intenção é cuidar deles como – suponha que eles tenham coronavírus e os tratem adequadamente . Prestaremos cuidados no local e os evacuaremos quando for possível, como faríamos com alguém que tivesse uma pneumonia bacteriana ou um caso grave de influenza.

E há casos no meio – ou lugares no meio em que há testes disponíveis no país anfitrião, mas sujeitar o indivíduo ao teste pode desencadear uma interação com o governo do país anfitrião e pode ser que haja um movimento no país anfitrião para renunciar às proteções de Viena e colocar a pessoa em quarentena institucional. Embora não tenhamos enfrentado esse problema, temos planos caso isso aconteça, e o plano para isso, francamente, é evacuá-los imediatamente, trazê-los de volta aos Estados Unidos e colocá-los em instalações apropriadas.

Estamos trabalhando com a indústria agora mesmo. Prevemos e esperamos que haja autorização de emergências para outra plataforma de testes que poderemos implantar em nossas embaixadas no exterior nas próximas duas semanas.

PERGUNTA: Posso perguntar sobre algo que o [Oficial Sênior do Departamento de Estado 1] disse, por favor? Você disse que os voos que o Departamento de Segurança Interna está enviando para partes da América Latina trariam americanos – estes seriam voos de deportação, então os voos que estão deportando migrantes trariam os americanos de volta? Isso está correto?

OFICIAL SÊNIOR DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: DHS, ICE ERO indicou uma disposição de usar esses aviões para esse fim, sim.

PERGUNTA: Obrigado.

MODERADOR 2: Temos tempo para –

MODERADOR 1: John Hudson é o próximo interlocutor. Desculpe, [Moderador 2]. Quantas perguntas?

PERGUNTA: Obrigado.

MODERADOR 1: (Fora do microfone.)

PERGUNTA: Gostaria de saber se vocês já ouviram alguma reclamação sobre o site e de pessoas que inserem informações e não recebem resposta. Parece que você já testou, mas me pergunto se existe algum esforço para resolver problemas que algumas pessoas estão enfrentando.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Sim, com licença. Sim, reconhecemos que há um problema. O que descobrimos – um colega meu tentou fazer o que eu fiz, tentou registrar uma viagem ao Peru, não conseguiu colocar os dados corretamente e, portanto, não recebeu resposta e pensou: “Ih, Meu Deus, o sistema não funciona.” Às vezes, é uma questão de erro do operador. Outras vezes é – pode ser uma questão de o sistema ficar sobrecarregado. Quero dizer, aqui estamos pedindo, através deste esforço sem precedentes, que as pessoas se registrem através do STEP. Haverá alguns problemas, mas estamos tentando resolvê-los. Nas últimas 24 horas, o Bureau de Assuntos Consulares dobrou o nosso – eu – não entendo muito de computador – dobrou a capacidade do sistema para processar casos, criando outro centro de servidores para lidar com isso. Portanto, esperamos que isso resolva este e outros problemas que notamos. Prossiga.

PERGUNTA: E vocês sentem que têm capacidade em geral para lidar com esta crise global? Obviamente, houve algumas reclamações em Capitol Hill de legisladores que perceberam realmente uma disputa. Como vocês reagiram a isso?

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Temos tido muito trabalho duro, e vai ser assim daqui para frente, mas sim, estamos lidando com isso. Sim, estamos dedicando todos os nossos recursos a isso.

Por exemplo, instruímos os consulados em todo o mundo, todos os consulados em todo o mundo a suspender os serviços de visto de rotina. Então, aqueles postos na China ou no México ou onde quer que estejam, onde temos centenas de oficiais prestando serviços de visto e temos milhares de funcionários locais ajudando-os a prestar esses serviços, estamos fechando em grande parte esses serviços de rotina para que possamos direcionar todos os oficiais e funcionários locais a prestar serviços aos cidadãos americanos.

Os oficiais que estão voltando para casa – os funcionários consulares que estão voltando para casa em partidas autorizadas ou ordenadas, em grande parte, vêm trabalhar no que chamamos de Serviços dos Cidadãos Americanos (ACS, na sigla em inglês). Temos vários deles trabalhando nessa força-tarefa agora e teremos – provavelmente teremos mais até o fim do dia e mais até amanhã. Portanto, estamos dedicando todos os recursos disponíveis para enfrentar esta crise. Prossiga.

MODERADOR 1: [Moderador 2], temos tempo para mais uma pergunta?

MODERADOR DOIS: Briefers, você tem tempo para mais um?

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DO ESTADO 2: Claro.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DO ESTADO 1: Claro.

MODERADOR 1: Ok, a última pergunta é de Jennifer Hansler, da CNN.

PERGUNTA: Olá, obrigada por fazer a ligação. Fiquei imaginando se vocês poderiam elaborar um pouco mais sobre esses casos (inaudíveis), quantos são contratados e quantos são funcionários, quantos são empregados localmente ve quantos são funcionários do Serviço de Relações Exteriores?

Então, quantas pessoas estão realmente trabalhando na força-tarefa de repatriamento? E que mensagem você tem para os americanos que estão realmente assustados, aqueles que sentem que não estão sendo ouvidos agora:

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Então, Jennifer, perdi uma parte essencial da sua primeira pergunta.

PERGUNTA: Você pode dividir os números um pouco mais nos casos de coronavírus positivo do Departamento de Estado, quantos funcionários são empregados localmente e quantos são funcionários de serviços estrangeiros? E então, internamente, existem contratados ou todos são funcionários?

MODERADOR 2: Voltaremos a essa pergunta com os números exatos especificados.

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Quantas – a questão era quantas pessoas estão na força-tarefa? Eu acho que a cada minuto que passa temos mais. É um pouco difícil dizer exatamente quantas, porque temos um certo número de pessoas trabalhando em uma sala da força-tarefa, mas é claro que estamos tentando estar socialmente distantes nos dias de hoje, então temos pessoas meio dispersas na área de Washington e em outros lugares que estão trabalhando com questões da força-tarefa. Mas elas também estão trabalhando durante o dia em seus empregos, por isso é um pouco difícil dizer especificamente que temos um número X de pessoas.

Posso dizer o seguinte: como chefe da força-tarefa, posso recorrer a quaisquer recursos do Bureau de Assuntos Consulares para tratar de questões da força-tarefa, e temos uma força de trabalho muito, muito grande. Somos cerca de 14.000 em todo o mundo. Também podemos atrair representantes das agências regionais, de outras agências funcionais. Eu já mencionei o Bureau Econômico. A segurança diplomática está lá. O Bureau de Assuntos Legislativos está lá. Nossos colegas da Global Public Affairs estão na sala. Sei que estou deixando alguns de fora, mas é um grupo muito grande, alguns dos quais estão fisicamente presentes na sala da força-tarefa, a grande e vasta maioria dos quais não está. Eles estão trabalhando de maneira dispersa. Prossiga.

PERGUNTA: E então, alguma mensagem para os americanos no exterior que estão assustados e sentem que não estão sendo ouvidos?

OFICIAL SÊNIOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADO 1: Ah, muito obrigado, sim. Obrigado por me pedir uma mensagem. Sim, a mensagem – vou voltar ao que disse no começo. Se você é um cidadão dos EUA e está no exterior no momento, avalie as circunstâncias; determine se este é um local em que você estaria disposto a ficar por um período indeterminado de tempo, à medida que o espaço aéreo e as fronteiras se fecham.

Agora, se você está em casa, no centro do México, e este é o local onde você mora, tudo bem. Mas se você está em algum lugar onde pensa que não, não é aqui que eu gostaria de estar no longo prazo, aproveite as oportunidades comerciais existentes e saia agora. Se as fronteiras fecharam – ou, na verdade, mesmo antes do fechamento, as pessoas devem se registrar conosco, entrar em contato com a embaixada ou consulado dos EUA em sua área e, em seguida, ouvir atentamente as instruções e os conselhos dessa embaixada ou consulado.

Quando chegar a hora, supondo que seja a hora de tentar organizar um voo de repatriamento, a única maneira de encontrar alguém é se essas pessoas se registraram conosco no STEP e forneceram informações bastante detalhadas sobre quem são, como entrar em contato com elas etc. É assim que construímos a lista para esses voos.

E apenas por – (inaudível) literalmente agora, a última mensagem que apareceu no meu telefone é da Embaixada de Lima porque me registrei como se morasse em Lima. Então o sistema está funcionando. Um alerta de saúde saiu às 13h38m da Embaixada Lima. E, então com isso, fico por aqui. Prossiga.

MODERADOR 2:  Certo, obrigado a todos por participarem da coletiva telefônica de hoje.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.