rss

Assistência estrangeira dos EUA em resposta à pandemia de COVID-19

اردو اردو, English English, العربية العربية, Français Français, हिन्दी हिन्दी, Русский Русский, Español Español, 中文 (中国) 中文 (中国)

Departamento de Estado dos EUA
Declaração a Imprensa
Michael R. Pompeo, Secretário de Estado
26 de março de 2020

 

O governo dos EUA rapidamente mobilizou recursos para responder à pandemia do COVID-19, tanto interna quanto externamente.  Hoje, tenho a satisfação de anunciar que os Estados Unidos disponibilizaram quase USD 274 milhões em fundos para emergência de saúde e humanitária. O povo americano junto ao setor privado dos EUA continuam a liderar a resposta a esta pandemia.

Os USD 274 milhões disponibilizados hoje propiciarão recursos para que os 64 países, que correm o mais alto risco no mundo, combatam mais eficientemente a pandemia, e para capacitar o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados a prover assistência a algumas das populações mais vulneráveis do mundo.  Esses novos compromissos incluem aproximadamente USD 100 milhões em assistência de emergência de saúde.  E agora também incluem USD 110 milhões em assistência internacional para desastres que, junto ao nosso fundo para emergência de saúde, será concedido para até 64 países entre os de mais alto rico.  Sobretudo, nossa resposta acrescenta USD 64 milhões em assistência humanitária para o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (UNHCR) para auxiliar nos esforços de resposta a esta pandemia junto a algumas das populações mais vulneráveis do mundo.

Os novos fundos de hoje são um acréscimo às décadas de liderança dos EUA em assistência de saúde e humanitária.  Desde 2009, os contribuintes americanos têm financiado generosamente, com mais de USD 100 bilhões em assistência de saúde, e quase USD 70 bilhões em assistência humanitária, em todo o mundo.  Sozinho, nosso país continua a ser o maior doador humanitário e de saúde, tanto nos esforços de desenvolvimento em longo prazo, quanto de desenvolvimento de capacidades com parceiros, e nos esforços de resposta de emergência nas crises recorrentes.

Os Estados Unidos continuarão a atuar no combate à pandemia de COVID-19.  Esses fundos são um investimento inicial, acrescidos ao financiamento contínuo que já propiciamos a organizações multilaterais como a Organização Mundial da Saúde e a UNICEF.  Além dos investimentos de hoje, no dia 6 de março o Presidente Trump assinou a Lei de Apropriações Suplementares de Prontidão e Resposta ao Coronavírus, que inclui USD 1,3 bilhões adicionais em assistência internacional dos EUA para auxiliar países em todo mundo na resposta a esta pandemia.

Com mais de USD 1,5 bilhões em doações e assistência, concedidos por empresas americanas, ONGs e organizações filantrópicas, e o trabalho incrível em andamento para implantação de parcerias no exterior, estamos realmente nos mobilizando como nação para confrontar esse vírus letal.  Nós acolheremos positivamente as contribuições – não condicionais – de outros doadores para catalisar ainda mais os esforços de resposta global que estão em andamento.

Nossa liderança na resposta ao COVID-19 é mais um exemplo de como os EUA – nosso governo, nossas empresas e organizações, e o nosso povo – continuam a ser os principais humanitários. Entre recursos existentes, fundos suplementares, setor privado e o espírito generoso do povo americano, os Estados Unidos lideram – e continuarão a liderar – o esforço de combate a esse perigoso patogênico, e à ameaça que ele representa para a saúde e a segurança global.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.