rss

Promessas vãs da República Popular da China em África

English English, Français Français

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Comunicado de imprensa
Secretário de Estado, Michael R. Pompeo
24 de junho de 2020

 

O povo norte-americano continua a apoiar os seus parceiros em África no combate aos desafios colocados pela pandemia de COVID-19. Investimos mais de US$ 100 mil milhões em setores da saúde pública na África Subsariana ao longo dos últimos 20 anos e mais de US$ 360 milhões na resposta à COVID-19 até ao momento.  É assim que deve ser uma parceria de longo prazo empenhada em construir uma África mais saudável e mais próspera. O nosso governo, os filantropos dos EUA e as empresas norte-americanas investem intensamente na saúde de África porque uma população saudável faz de África, bem como do resto do mundo, uma região mais segura e mais próspera.

Na Cimeira China-África da semana passada, infelizmente assistimos a mais promessas vãs e aos lugares-comuns de sempre do Partido Comunista da China (PCC). Apesar de o Presidente Xi ter afirmado que “devemos colocar sempre o nosso povo e as suas vidas em primeiro lugar”, falhou em prometer uma transparência e responsabilização reais do papel da China na libertação deste vírus mortal. O Presidente Xi não estava a colocar as vidas em primeiro lugar quando a China ocultou a verdade sobre a COVID-19 ao mundo até já ser demasiado tarde e agora continuamos a sofrer os resultados desastrosos dessas ações.

Tomámos nota do compromisso declarado pela China de implementar “seriamente” a Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida do G20 (DSSI), já que não é segredo nenhum que a China é de longe o maior credor bilateral dos governos africanos, criando um peso da dívida insustentável. Em contrapartida, a maioria da ajuda externa dos EUA é cedida sob a forma de subvenções e não de empréstimos, a fim de promover um crescimento económico transparente e liderado pelo setor privado que beneficie todas as partes. A divulgação pública de empréstimos oficiais contribui para responsabilizar os governos pelas suas decisões e para prevenir a corrupção, um comportamento que priva os cidadãos de oportunidades e que enfraquece a soberania nacional. A China deve deixar de emitir declarações públicas vagas e começar a implementar de forma plena e transparente a DSSI em conformidade com os seus compromissos no âmbito do G20.

Os Estados Unidos continuam a ser o parceiro mais empenhado de África na promoção da transparência e no combate ao flagelo das doenças infeciosas.  Promessas vãs e propaganda enganosa não nos ajudarão a chegar mais perto da verdade.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.