rss

Secretário de Estado, Michael R. Pompeo em Coletiva de Imprensa

English English, العربية العربية, Français Français, Español Español, اردو اردو, Русский Русский

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Declarações para a Imprensa
Secretário de Estado, Michael R. Pompeo
Sala de Imprensa
Washington, D.C.
1 de julho de 2020

 

SECRETÁRIO POMPEO: Eu estou bem. E, como estamos agora em 4 de julho, ou nos aproximando rapidamente, pensei em começar com algumas reflexões sobre os princípios fundamentais dos Estados Unidos nesta manhã. Os Estados Unidos foram a primeira nação estabelecida com a premissa de que o governo existe para proteger nossos direitos inalienáveis, dados por Deus. Eu tenho mais a dizer sobre isso em apenas algumas semanas.

Foi uma ideia revolucionária; não devemos esquecer que, ao falarmos sobre essas complexas questões de política externa. A ideia de governo para o povo e pelo povo foi e continua sendo importante e única. Estamos sempre buscando uma união mais perfeita. Não acertamos todos os dias, mas tentamos melhorar e usamos nosso poder incomparável para proteger os direitos em casa e no exterior. Feliz semana de 4 de julho para todos vocês e suas famílias.

Agora, voltando para o conteúdo das minhas observações de hoje, quero falar sobre um dos países menos livres do mundo.

Ontem, o Partido Comunista Chinês implementou sua lei de segurança nacional draconiana em Hong Kong, violando os compromissos que assumiu com o povo de Hong Kong e com o Reino Unido, em um tratado registrado pela ONU – e em violação aos direitos humanos e às liberdades fundamentais de Hong Kong.

A Hong Kong livre foi uma das cidades mais estáveis, prósperas e dinâmicas do mundo. Agora será apenas mais uma cidade de governo comunista, onde seu povo estará sujeito aos caprichos da elite do partido. É triste.

De fato, isso já está acontecendo. As forças de segurança já estão prendendo pessoas de Hong Kong por ousarem falar e pensar livremente. O estado de direito foi destruído. E, como sempre, o Partido Comunista Chinês teme seu próprio povo mais do que qualquer outra coisa.

Os Estados Unidos estão profundamente preocupados com as amplas disposições da lei e com a segurança de todos os que vivem no território, incluindo cidadãos americanos.

O artigo 38 da nova lei também se aplica a crimes cometidos fora de Hong Kong por não residentes em Hong Kong, e isso provavelmente inclui americanos. Isso é ultrajante e uma afronta a todas as nações.

Na sexta-feira, implementamos restrições de visto para os responsáveis ​​pela repressão a Hong Kong. Na segunda-feira, anunciamos que encerraríamos as exportações de equipamentos de defesa e tecnologias de uso duplo de origem americana para o território.

Continuaremos a implementar a diretiva do presidente Trump para encerrar o status especial de Hong Kong.

Outras agências federais também estão envolvidas. Aplaudo o presidente da FCC, Ajit Pai, por designar a Huawei e a ZTE como riscos à segurança nacional.

Também continuamos a tomar medidas para aproveitar a assinatura do presidente Trump da Lei de Política de Direitos Humanos para a etnia Uigur.

Hoje, o Departamento de Estado dos Estados Unidos, juntamente com o Tesouro, o Comércio e o DHS, estão emitindo um aconselhamento comercial para empresas com vínculos na cadeia de suprimentos com entidades cúmplices em trabalhos forçados e outros abusos de direitos humanos em Xinjiang e em toda a China.

Os CEOs devem ler atentamente este aviso e estar cientes dos riscos reputacionais, econômicos e legais de apoiar tais agressões à dignidade humana.

Quero chamar a atenção para novos relatórios recentes, confiáveis ​​e profundamente perturbadores de que o Partido Comunista Chinês está impondo esterilização e aborto forçados a uigures e outras minorias no oeste da China.

Essa notícia chocante é infelizmente consistente com o desrespeito insensível de décadas do PCC pela santidade da vida humana. Peço a todas as nações, defensoras das mulheres, grupos religiosos e organizações de direitos humanos que defendam a dignidade humana básica do povo chinês.

A brutalidade do Partido Comunista Chinês também afeta o resto do mundo.

Saudamos a proibição da Índia de certos aplicativos móveis que podem servir como apêndices da vigilância do PCC. A abordagem de aplicativo limpo da Índia aumentará a soberania da Índia. Também aumentará a integridade e a segurança nacional da Índia, como o próprio governo indiano declarou.

Hoje, as comemorações do Dia Nacional do Canadá são ofuscadas pela recente decisão do PCC de apresentar acusações de espionagem contra Michael Kovrig e Michael Spavor.

Os propagandistas do PCC sugeriram que esses dois cidadãos canadenses são reféns, retaliados pela prisão legal da executiva da Huawei no Canadá. Ela é acusada pelo Departamento de Justiça por fraude bancária, fraude eletrônica e conspiração para cometer fraude bancária e eletrônica.

Felicito o governo canadense por permanecer firme e apoiar seu sistema jurídico independente. A tomada de reféns para ganhos políticos coloca a China no mesmo grupo que iranianos e venezuelanos. Os dois Mikes precisam voltar para casa agora.

No Oriente Médio:

Na quarta conferência de Bruxelas sobre a Síria, ontem, os Estados Unidos anunciaram quase US$ 700 milhões em assistência humanitária para apoiar sírios dentro daquele país e sírios que estão deslocados no exterior, elevando nosso financiamento total a pouco mais de US$ 11,3 bilhões desde que o conflito começou, há mais de nove anos.

No Iraque, quero elogiar o governo local por colocar todos os grupos armados sob seu controle, incluindo os que disparam foguetes nas instalações do governo iraquiano. A presença desses atores ilegais continua sendo o maior obstáculo a assistência adicional ou investimento econômico para o país. Para o mundo ajudar o Iraque, o Iraque deve primeiro se ajudar. As ações de Bagdá são um passo na direção certa e nós as aplaudimos.

Agora quero comentar três assassinatos brutais por honra que ocorreram no Irã: Romina Ashrafi, de 14 anos, Fatemeh Barhi, de 19, e Rayhaneh Ameri, de 22. Duas foram decapitadas e uma foi espancada até a morte com uma barra de ferro nas mãos de parentes.

Por 40 anos, líderes iranianos corruptos têm tolerado assassinatos e a desumanização de mulheres, além de ignorar pedidos de justiça. Quando eles vão parar com este ataque indescritível à dignidade humana?

Ainda sobre o Irã: Como muitos de vocês viram ontem, falei com o Conselho de Segurança da ONU, exortando-os a manter o embargo de armas de 13 anos ao Irã. Essas restrições, como resultado de uma falha do JCPOA, devem expirar em outubro.

Se o Irã puder comprar armas de países como China e Rússia, mais civis no Oriente Médio morrerão nas mãos do regime e de seus representantes. É simples assim. Teerã se tornará um traficante de armas para os Maduros e Assads do mundo. Inimigos jurados de Israel, como o Hamas e o Hezbollah, estarão melhor armados. As nações europeias serão colocadas em risco.

Nossa equipe preparou um pequeno vídeo que explica por que isso é tão importante. Eu gostaria de mostrar para vocês agora.

(Um vídeo foi apresentado.)

Então, quando todos ouvirem sobre as gentilezas e complexidades legais e as lutas intra –internacionais sobre qual é o curso correto a se seguir, lembre-se do que acontecerá ao mundo se esse embargo de armas for suspenso. No final, é isso que importa. No final, é isso que o Conselho de Segurança da ONU tem a capacidade de garantir que não ocorra. Gostaria de lembrá-los de voltar e recordar as observações do governo anterior sobre o fato de os Estados Unidos têm o direito inequívoco, sem precisar do consentimento de qualquer outra nação, de garantir que esse embargo de armas permaneça em vigor. Esse governo fará tudo o que estiver ao nosso alcance para garantir que isso aconteça, não apenas para proteger os americanos, mas para reduzir a instabilidade no Oriente Médio.

Seguindo um pouco ao norte do Irã:

Aplaudimos a reforma constitucional desta semana na República da Geórgia. Apelamos ao parlamento da Geórgia para honrar a vontade do povo e as promessas dos oficiais da Geórgia através da aprovação e implementação de reformas eleitorais recomendadas internacionalmente. Bom para eles.

E, ontem, pela terceira vez em menos de um ano, encontrei meus homólogos do Cazaquistão, República do Quirguistão, Tadjiquistão, Turcomenistãoe Uzbequistão no formato C5 + 1. Compartilhamos muitos objetivos comuns, incluindo a paz no Afeganistão; o fortalecimento de laços regionais de comércio, energia e segurança; e a construção de economias resilientes para cada um desses países.

Como sinal do foco da América na construção de parcerias genuínas, Adam Boehler, CEO da Development Finance Corporation, acompanha hoje o embaixador Khalilzad em uma viagem à região para explorar oportunidades de investimento nas quais as empresas americanas podem ser bem-sucedidas e ajudar esses países a serem soberanos e independentes também.

Já a República Democrática do Congo merece os parabéns. Em uma decisão sem precedentes, o chefe de gabinete do presidente Tshisekedi foi condenado por corrupção. Ninguém, por mais alto que seja seu cargo, deve estar acima da lei.

E, na semana passada, o povo do Malawi elegeu Lázaro Chakwera como seu próximo presidente. Esta é apenas a segunda vez – a segunda vez que um tribunal – pela segunda vez nos Estados Unidos – na África, quero dizer – que um tribunal anula uma eleição presidencial cheia de irregularidades, e a única vez que um processo de reeleição resultou na eleição de um candidato do partido oposto. Esta é realmente uma oportunidade histórica para o povo desse país.

Na semana passada, os Estados Unidos e a Rússia realizaram a primeira rodada de negociações sobre controle de armas nucleares. Estes dois lados se encontraram em Viena. Tivemos discussões positivas e detalhadas sobre uma ampla gama de tópicos, incluindo a construção secreta da China. Pequim lamentavelmente boicotou as negociações, continuando seu histórico de sigilo e rejeição ao multilateralismo.

E, na segunda-feira, o Bureau de Recursos Energéticos liderou um grupo de trabalho interagências como parte do Diálogo Estratégico EUA-Grécia, onde estamos trabalhando juntos para diversificar as fontes de energia no sudeste da Europa, desenvolver recursos juntos e promover a segurança energética regional.

E, finalmente, sobre o nosso hemisfério:

Todos os 21 estados membros da OEA votaram na semana passada para condenar as tentativas do regime de Maduro de suprimir partidos políticos independentes na Venezuela. Nossa região rejeitou categoricamente as tentativas de criar uma oposição falsa e simpatizante de Maduro.

Os Estados Unidos também parabenizam o povo do Suriname por suas eleições e uma transição pacífica de poder para uma nova Assembleia Nacional. Esperamos ansiosamente trabalhar com esse novo governo.

Por outro lado, já se passaram quatro meses desde a eleição na Guiana – muito tempo para uma transição pacífica de poder. A CARICOM e a OEA certificaram os resultados da recontagem. Eles deveriam seguir em frente.

Eu instruí meu departamento para garantir que aqueles que comprometem a democracia da Guiana sejam responsabilizados.

Além disso, hoje o USMCA entra em vigor. Este acordo abrirá novas oportunidades para empresas e consumidores dos EUA, México e Canadá. Uma boa notícia.

Por fim, encerro meus comentários destacando mais um aniversário. O dia 1º de julho marca o 70º aniversário da Fulbright Tailândia. Programas educacionais e culturais dos EUA – o mundo aprecia o respeito destacado da América pela liberdade, democracia, decência e pelos direitos humanos. E com isso, fico feliz em responder suas perguntas nesta manhã.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.