rss

Adam Boehler Diretor Executivo da Corporação Financeira para o Desenvolvimento Internacional (DFC)

English English

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Para divulgação imediata 14 de julho de 2020
A PARTIR DE UM BRIEFING ESPECIAL POR TELEFONE
14 de julho de 2020
Centro de Mídia Regional da África

 

Adam Boehler
Diretor Executivo da Corporação Financeira para o Desenvolvimento Internacional (DFC) e Presidente Executivo da Prosper Africa
e Worku Gachou
Diretor-Geral da DFC para África
e Vibhuti Jain
Diretor Regional da DFC para África

Moderador:  Boa tarde a todos do Centro de Mídia Regional da África do Departamento de Estado dos Estados Unidos. Gostaria de dar as boas-vindas aos nossos participantes em todo o continente e agradecer a todos por participar neste diálogo. Hoje temos o prazer de receber Adam Boehler, Diretor Executivo da Corporação Financeira para o Desenvolvimento Internacional (DFC) e Presidente Executivo da Prosper Africa, que vem acompanhado pelo Diretor-geral da Corporação Financeira para o Desenvolvimento Internacional para África, Worku Gachou, e pelo Diretor Regional da DFC em África, Vibhuti Jain.

Os nossos oradores irão falar sobre os investimentos da DFC recentemente aprovados em África e as suas diversas iniciativas para mobilizar o investimento do setor privado para apoiar a resiliência na saúde global. Eles estão connosco a partir de Washington, D.C. e de Joanesburgo, na Áfrico Sul.

Iremos iniciar a nossa conversa de hoje com alguns comentários iniciais de Adam Boehler, e depois passaremos às vossas questões. Tentaremos responder ao máximo de questões possível no tempo de que dispomos.

Relembro que a conversa de hoje está a ser registada. E passo agora para o CEO da DFC, Adam Boehler.

Adam Boehler:  Muito obrigado, Marissa. Quero agradecer a todos estarem aqui connosco. É um prazer poder falar sobre o nosso compromisso para com África.  Começo com alguns aspetos muito importantes e depois passo a uma espécie de compromisso que estamos a assumir para setembro.

Primeiro, penso que a DFC – e permitam-me recordar que a DFC é um banco de US$ 60 mil milhões, o banco de desenvolvimento dos Estados Unidos, que investe para fazer avançar o desenvolvimento em países emergentes. O nosso compromisso com África é muito significativo. Ao longo da história, mais de metade do nosso investimento foi dirigido ao continente Africano. Portanto, temos um compromisso forte e duradouro com a região, e a nossa missão é realmente fazer chegar capital, investir capital, dar poder a um mercado privado em África, para conseguir soluções sustentáveis, para fazer avançar a política externa americana, e somos uma das únicas agências no país que devolve capital aos contribuintes americanos. Portanto, estes são os três pontos principais que temos em conta em todos os investimentos que fazemos.

Temos sido bastante agressivos nos últimos meses durante a COVID. A nossa perspetiva é que a DFC e o seu investimento são necessários mais do que nunca, durante a COVID. E o que fizemos imediatamente, e penso da mesma forma em relação à PPP nos Estados Unidos, foi reconhecer que nem todos os países em desenvolvimento podem anunciar um programa de liquidez como a PPP. E, portanto, nós, e fizemos isto com outros parceiros do DFI como o IFC e outros, tentámos disponibilizar uma facilidade de liquidez muito rapidamente. E, assim, avançámos imediatamente com uma facilidade de liquidez de US$ 4 mil milhões para os nossos investimentos, que serviram basicamente para disponibilizar liquidez para os meses em que os países foram mais atingidos pela COVID. Sabemos como isso foi importante e continua a ser, nos Estados Unidos, e por isso queríamos trabalhar com países em desenvolvimento nesta área, que é aquilo que podemos fazer mais rapidamente para garantir que há liquidez para que não seja necessário recorrer ao lay-off ou encerrar empresas.

A segunda coisa que fizemos foi anunciar uma importante Iniciativa para a Saúde e Prosperidade, e aqui, a DFC está a investir US$ 2 mil milhões com capital privado, portanto corresponde a um compromisso total de US$ 5 mil milhões com capital privado. E uma das razões para nos termos focado em saúde e prosperidade foi, da mesma forma como, no continente africano, conseguimos ultrapassar a fase do telefone fixo e passar rapidamente para o telemóvel, porque não havia uma infraestrutura de linhas fixas, a nossa perspetiva relativamente à questão da saúde é que, se olharmos para os Estados Unidos ou outros países desenvolvidos, nos anos 70 e 80 investimos em muitas infraestruturas pesadas, muitas infraestruturas hospitalares pesadas, e, por vezes, isso foi uma sobrecarga para nós. E se olharem para novas abordagens na área da saúde atualmente, estou a pensar na telemedicina, na medicina domiciliária, nos cuidados de saúde digitais… Estas são tecnologias que consideramos serem particularmente interessantes em África, porque África não está sobrecarregada da mesma forma que os países em desenvolvimento [sic] estão com investimentos fixos em infraestrutura.

Portanto, pensamos que há a possibilidade de saltar etapas e passar diretamente para a tecnologia de ponta no continente africano. Logo, uma enorme percentagem da nossa Iniciativa para a Saúde e Prosperidade irá focar-se em África e no que podemos fazer aí.

Por fim, assumimos um enorme compromisso com a 2X. Reconhecemos – e a 2X é a nossa iniciativa para investimentos de mulheres. Reconhecemos que as mulheres são afetadas pela crise da COVID de forma desproporcional. Existem muitas pessoas que estavam a trabalhar e que não puderam continuar porque, devido à COVID, tinham os filhos em casa, por isso estamos interessados em investir mais nas mulheres, em tecnologias como a codificação em casa e outras coisas que possam ser feitas a partir de casa, para que as mulheres possam manter os seus poderes durante este período. Foi por isso que duplicámos na nossa iniciativa 2X. Os Estados Unidos têm sido um líder nesta área. Na verdade, estabelecemos um objetivo para nós e para as nossas entidades parceiras em investimentos noutros países – temos muitas parcerias com o CDC do Reino Unido, com os canadianos, com os alemães, com outras entidades no âmbito da nossa iniciativa 2X e o nosso grupo de colaboração excedeu o nosso objetivo. Conseguimos quatro mil milhões e meio em investimento. Portanto, é altura de traçar um novo objetivo. Na verdade, neste momento, não estávamos – o nosso objetivo era 3 mil milhões. Não estávamos a ser pouco ambiciosos. Pensamos que era um objetivo bastante elevado. Mas fizemos ainda melhor, por isso acredito que irá surgir um novo objetivo de todos os DFIs, mas é – não será 5 mil milhões; vamos mais além e vamos mesmo focar-nos da 2X como sendo uma área extremamente importante.

Outra coisa que fizemos, e não muito distante, foi… Sei que muitos de vocês são familiares com a nossa abordagem governamental holística na Prosper Africa, da qual fui nomeado presidente. E centrámo-nos de forma muito vincada na Prosperidade, e uma coisa que gostaria de anunciar é que estamos a tentar reunir uma cimeira de investimento, e organizar ainda reuniões na Casa Branca e uma cimeira focada nas mulheres, em África, com chefes de estados africanos, em setembro. Portanto, irão ver a nossa embaixadora Lana Marks falar com o presidente de África do Sul sobre a organização disto, dependendo, em certa medida, da COVID. Queremos garantir que todos poderão participar de forma segura. Mas iremos garantir a segurança aqui, mas gostaríamos de convidar vários chefes de estado africanos para virem aos Estados Unidos para nos focarmos numa cimeira sobre investimento, e isso irá representar o compromisso dos Estados Unidos para com a região – pensamos que é crucial – e o nosso compromisso com o investimento. Portanto, esperamos que surjam muitos negócios aqui, muitos potenciais investimentos. Teremos alguns DFIs multilaterais connosco. Também iremos poder conversar durante um jantar na Casa Branca e, na manhã seguinte, iremos conversar sobra a 2X com a equipa de Ivanka Trump e sobre a forma como poderemos realmente focarmo-nos nas mulheres, na região. Isto irá acontecer, dependendo da COVID, esperamos nós em setembro.

Deixem-me passar agora a palavra a Worku e Vib para falarem sobre alguns pormenores do nosso compromisso, foco e portfolio em África.

Worku Gachou:  Obrigado, Adam. Olá a todos. Eu sou Worku Gachou. Sou o Diretor-geral para África da DFC, sedeada em Washington. Tal como Adam disse, a agência está bastante empenhada no continente e esperamos, juntamente com a DFC e a nossa nova agência e as nossas novas ferramentas, conseguir o dobro. E um dos compromissos que assumimos para com o continente foi estabelecer o nosso novo programa africano de aconselhamento de investimentos.

Estamos – através deste programa teremos alguns colaboradores situados em toda a região – com base na África Oriental, na África Ocidental, no sul de África, no Corno de África – que nos irão ajudar imensamente a aumentar o nosso canal de transações e atividades, e que ajudarão os nossos colegas em D.C. com a devida diligência dos projetos e monitorização de projetos após os compromissos assumidos. Estes dois esforços serão muito importantes à luz de determinadas restrições de viagens devido à COVID. E, portanto, através deste programa estamos entusiasmados por irmos – vamos duplicar o nosso compromisso no continente, mas iremos também aprofundar a nossa parceria e colaboração com as nossas embaixadas americanas e com as missões USAID, no continente.


É – é tudo da minha parte.

Vibhuti Jain:  Obrigado. Obrigado, Worku. Vou apenas apresentar-me brevemente e dizer que estamos verdadeiramente entusiasmados por termos uma equipa no continente. Estamos empenhados em estarmos ao acesso mais fácil de potenciais clientes, em aumentar a nossa base de clientes e em recorremos a todas as nossas autoridades alargadas, como a DFC, no continente, e esperamos verdadeiramente estabelecer relações com muitas partes interessadas, num futuro próximo.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.