rss

Declaração Conjunta de Apoio à Mudança Democrática na Venezuela

Español Español, English English, Français Français, Русский Русский

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Nota para a imprensa
Gabinete da Porta-Voz
14 de agosto de 2020

 

O texto da declaração a seguir foi divulgado por vários membros do Grupo Lima, do Grupo de Contato Internacional, da União Europeia e os Estados Unidos, entre outros. 

Início do texto:

Nós, um grupo de países que se preocupam, incluindo membros do Grupo Lima, do Grupo de Contato Internacional, da União Europeia e os Estados Unidos, entre outros, apelamos a todos os venezuelanos, de todas as tendências ideológicas e filiações partidárias, sejam civis ou militares, para que coloquem os interesses da Venezuela acima da política e se engajem urgentemente no apoio a um processo moldado e conduzido pelos venezuelanos para estabelecer um governo de transição inclusivo que levará o país a eleições presidenciais livres e justas o quanto antes. As eleições para a Assembleia Nacional por si só não representam uma solução política e, em vez disso, devem polarizar ainda mais uma sociedade já dividida.

Convocamos todas as instituições do Estado venezuelano a participarem de tal processo. Os venezuelanos e a comunidade internacional colocaram na mesa propostas para alcançar esse objetivo. Tal processo deve incluir a capacidade da Assembleia Nacional de desempenhar plenamente as suas funções e a restauração da independência e do Supremo Tribunal e do Conselho Nacional Eleitoral. As discussões e o progresso feito nas negociações lideradas pela Noruega em Barbados também devem informar o caminho a seguir.

Reiteramos a disposição de todos os países que mantêm sanções econômicas de discutir o a redução das sanções no contexto do progresso político.

A situação humanitária, social e política na Venezuela continua se deteriorando, sublinhando a necessidade de um processo político pacífico e inclusivo que restaure a democracia e coloque o país no caminho da recuperação. A atual pandemia e o sobrecarregado sistema de saúde pública da Venezuela acrescentaram urgência à necessidade de acabar com o status quo. Estamos empenhados em continuar nossos esforços para ajudar os venezuelanos que enfrentam a pandemia e a crise humanitária anteriormente existente com base na necessidade e não em filiação política.

Pedimos o fim de todas as perseguições políticas e atos de repressão. Defensores de direitos humanos, atores humanitários, profissionais de saúde, jornalistas, membros de comunidades indígenas da Venezuela, membros da Assembleia Nacional sob a liderança de Juan Guaido e a população venezuelana em geral enfrentaram o aumento da repressão na Venezuela.

Pedimos que todos os partidos políticos e instituições na Venezuela se envolvam de imediato, ou apoiem, um processo que estabelecerá um governo de transição amplamente aceitável para administrar eleições presidenciais livres e justas em breve e começar a colocar o país em um caminho de recuperação. Para uma resolução pacífica e sustentável da crise, é necessário um governo de transição para administrar as eleições presidenciais, de modo que nenhum candidato tenha uma vantagem indevida sobre os outros.

Uma transição rápida e pacífica para a democracia é o caminho mais eficaz e sustentável para a estabilidade, recuperação e prosperidade na Venezuela. Continuamos comprometidos em ajudar o povo venezuelano a alcançar um futuro pacífico, próspero e democrático.

Fim do texto.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.