rss

A DFC Aprova US$ 3,6 Biliões em Desenvolvimento Global no Maior Novo Investimento Trimestral de Sempre

English English, Français Français

9 de setembro de 2020

 

WASHINGTON – A Direção da Corporação de Desenvolvimento Financeiro Internacional dos E.U. (DFC) aprovou neste trimestre investimentos que totalizam mais de US$ 2,5 biliões, num total de nove projetos que permitirão o desenvolvimento em África, na América Latina e mercados emergentes em todo o mundo. 30 investimentos adicionais, num total de mais de US$ 1 bilião, foram aprovados pela agência desde a última reunião trimestral da Direção em junho, fazendo com que o total de investimentos aprovados no trimestre seja de mais de US$ 3,6 biliões.

 “Os investimentos aprovados hoje marcam o culminar de um trimestre de impacto excecional”, afirmou o Diretor Executivo da DFC, Adam Boehler. “O trabalho na DFC nos últimos três meses desbloqueará biliões de dólares em alguns dos países mais empobrecidos do mundo. Estes projetos ajudarão a estabilizar comunidades em todo o mundo e a prepará-las para o crescimento nos próximos anos. Estou extremamente orgulhoso da equipa da DFC e grato aos muitos parceiros da nossa agência pela sua contínua liderança face à pandemia.”

A reunião de hoje da Direção incluiu a aprovação de duas transações que envolvem US$ 1,7 biliões, que ajudarão a transformar Moçambique, um dos países mais pobres do mundo. Diversos investimentos também canalizarão capital absolutamente necessário para donos de pequenos comércios e outros devedores carentes na emergência do COVID-19, incluindo vários mercados em todo o Hemisfério Ocidental, que foram gravemente impactados pela pandemia.

No último trimestre pudemos ver a DFC continuar a recorrer às suas ferramentas de investimento para lidar com desafios complexos, como as primeiras transações estruturadas pela Unidade de Missão de Transações da DFC – composta por elementos da anterior Autoridade de Crédito para Desenvolvimento da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) – que proporcionarão capital necessário para estados frágeis na região africana do Sahel. Outros investimentos aprovados antecipam o mandato de política externa da DFC, desde o fortalecimento de segurança energética na Ucrânia, possibilitando importações de energia adicional desde os Estados Unidos até investimentos de apoio a minerais essenciais.

Muitos dos investimentos aprovados dão continuidade à 2X Women’s Initiative  (Iniciativa 2X das Mulheres) e à Women’s Global Development and Prosperity Initiative (W-GDP) (Iniciativa das Mulheres para o Desenvolvimento Global e Prosperidade), uma iniciativa mais ampla da Governo. Os investimentos também apoiam o Portfolio for Impact and Innovation (PI2) (Portfólio de Impacto e Inovação), Health and Prosperity Initiative (Iniciativa de Saúde e Prosperidade) da agência, e a Iniciativa Connect Africa (Ligação África), bem como as iniciativas Prosper Africa (Prosperidade para África)  e América Crece (A América Cresce) do Governo.

Mais de 60% dos investimentos aprovados pela DFC neste trimestre são em países de renda baixa e média-baixa.

Leia o relatório à Direção de Boehler.

Os investimentos aprovados pela Direção incluem:

  • Catalisação do desenvolvimento através da produção de energia em Moçambique: Até US$ 1,5 biliões em seguros de risco político apoiarão a comercialização de reservas de gás natural na Bacia de Rovuma, em Moçambique, um projeto com potencial para transformar o país num grande exportador de energia. Quando estiver concluído, o projeto deverá aumentar o PIB de Moçambique numa média de 15 biliões de dólares por ano, posicionando um dos países mais pobres do mundo para alcançar um crescimento económico duradouro e de longo prazo. O projeto irá promover o desenvolvimento em todo o Moçambique, prevendo-se que os benefícios significativos associados do PIB se adquiram noutros sectores além do petróleo e do gás. O seguro de risco político da DFC apoiará o desenvolvimento, construção e exploração de uma fábrica de liquefação onshore, juntamente com instalações de apoio.
  • Construção de infraestruturas de energia em Moçambique: Um empréstimo de até US$ 200 milhões de dólares à Central Térmica de Temane financiará o desenvolvimento, construção e exploração de uma central elétrica de 420 megawatts e uma linha de interconexão de 25 quilómetros em Moçambique. A energia deixará a fábrica através de uma linha de transmissão de 560 quilómetros que foi apoiada pela assistência técnica da iniciativa Power Africa, liderada pelo governo dos Estados Unidos. A central vai diversificar o cabaz energético do país, reduzir o custo da eletricidade e utilizar o fornecimento doméstico de gás para aumentar a produção de energia num país que enfrenta uma das taxas de eletrificação mais baixas a nível global. Avançará também com os planos do Governo de Moçambique para o desenvolvimento do sistema elétrico nacional.
  • Potencialização da tecnologia móvel para fornecer bens essenciais no Quénia: 5 milhões de dólares em capitais próprios ajudarão a Copia Global a aumentar a sua plataforma de comércio móvel e a sua rede logística, que fornece bens essenciais como alimentos, produtos de cuidados pessoais e material escolar a consumidores de baixo e médio rendimento nas zonas rurais e periurbanas do Quénia. O modelo de negócio de Copia destina-se a alcançar comunidades desfavorecidas, incluindo mulheres e indivíduos que ganham menos de US$ 10 por dia, com aproximadamente 70 por cento dos clientes empregados por pequenas empresas ou explorações agrícolas.
  • Promoção da independência energética na Ucrânia: US$ 62 milhões de dólares em seguros de risco político adicionais apoiarão a expansão dos Recursos Energéticos da Ucrânia (ERU) Trading, que atualmente importa, armazena e vende cerca de 10% das necessidades anuais totais de gás da Ucrânia. O projeto promoverá a independência energética na Ucrânia, diversificando as importações de gás e reduzindo a dependência da Rússia.
  • Promoção da estabilidade do mercado financeiro em toda a África: Um empréstimo de capital de nível 2 de 250 milhões de dólares reforçará ainda mais a Africa Finance Corporation (AFC), permitindo-lhe continuar a servir novos e já existentes mutuários em todo o continente como fonte de financiamento de baixo custo na sequência do COVID-19. Com o apoio da DFC, a instituição de financiamento para o desenvolvimento, maioritariamente privada, liderada por África, continuará a dar prioridade aos investimentos em dívida e equidade em projetos críticos de infraestruturas, incluindo energia, telecomunicações e transportes.
  • Incentivo às pequenas empresas no México: Um empréstimo de até 100 milhões de dólares ao Crédito Real apoiará empréstimos a pequenas e médias empresas (PMEs) no México, com foco em chegar a empresas detidas ou lideradas por mulheres. O projeto resolverá uma lacuna significativa de crédito enfrentada pelas pequenas empresas do México, onde, mesmo antes da grave contração económica da COVID-19, apenas cerca de 15% das necessidades de financiamento das PMEs foram satisfeitas.
  • Empoderamento das mulheres no Ruanda e no Quénia através do acesso digital a produtos de saúde: 1 milhão de dólares em fundos próprios ajudará a Kasha a expandir a sua plataforma de e-commerce, fornecendo produtos essenciais de saúde e cuidados pessoais – incluindo equipamento de proteção individual – a mulheres e jovens em todo o Ruanda e no Quénia. Permitir um maior acesso a produtos de cuidados pessoais também reduzirá as faltas escolares para as meninas, permitindo-lhes melhorar a sua educação. A plataforma móvel da Kasha é acessível com ou sem internet ou smartphone, vendendo produtos diretamente a mulheres de baixo e médio rendimento em locais rurais e urbanos. O projeto, que marca o primeiro investimento da DFC para cumprir todos os Critérios 2X, deverá também criar mais de 350 postos de trabalho formais, dos quais 90 por cento deverão ser preenchidos por mulheres.
  • Promoção da inclusão financeira na Colômbia: Um empréstimo de capital de nível 2 de 250 milhões de dólares ao Banco Davivienda melhorará a disponibilidade de empréstimos para pequenas empresas e habitação de baixo rendimento na Colômbia, onde o acesso limitado ao financiamento continua a ser um grande obstáculo ao crescimento económico e só foi exacerbado pelo COVID-19. O banco dará prioridade aos empréstimos a mulheres e às PMEs detidas por mulheres.
  • Apoio à recuperação económica na Costa Rica: Um empréstimo de até 150 milhões de dólares permitirá ao BAC San José expandir os empréstimos a devedores carentes na Costa Rica, dedicando pelo menos metade dos rendimentos do empréstimo às mulheres e 30% às PMEs. O financiamento da DFC injetará liquidez desesperadamente necessária na Costa Rica na sequência de um grave surto de COVID-19 que levou a restrições generalizadas e prolongadas à atividade económica.

Os projetos adicionais aprovados pela DFC desde a sua última reunião trimestral do Conselho de Administração incluem:

  • Aceleração da recuperação da pandemia no Brasil: Um empréstimo de 400 milhões de dólares ao Banco Itaú apoiará a concessão de empréstimos às PME na sequência de um grave surto de COVID-19 no Brasil, com foco em chegar às mulheres e aos estados mais subdesenvolvidos do país. O financiamento da DFC foi aprovado no âmbito do seu Mecanismo de Liquidez de Resposta Rápida COVID-19 (Rapid Response Liquidity Facility).
  • Estímulo às comunidades de refugiados em todo o mundo: Um empréstimo de 20 milhões de dólares ajudará o Fundo de Investimento para refugiados de Kiva a fornecer microempréstimos a refugiados em todo o mundo, ultrapassando uma barreira importante para indivíduos cujo risco identificado muitas vezes os impede de aceder ao financiamento.
  • Fomento da estabilidade através do acesso ao crédito em estados frágeis da África Ocidental: Uma garantia de 14,75 milhões de dólares para o Stitching Cordaid apoiará o financiamento das PMEs e das instituições de microfinanças que estão a criar oportunidades económicas e a construir comunidades mais prósperas no Burkina Faso, Serra Leoa, Guiné e Mali. A transação utiliza um modelo financeiro misto, incluindo o capital de primeiras perdas a ser fornecido pelo Centro de Comércio e Investimento da USAID na África Ocidental.
  • Preparação dos pequenos agricultores para o mau tempo a nível global: Um empréstimo de 37,5 milhões de dólares ajudará o Fundo de Investimento da InsuResilience a expandir o acesso a todo o mundo para seguros contra condições climáticas extremas e outras catástrofes naturais que tenham impacto nos rendimentos das culturas, nomeadamente para os pequenos agricultores.
  • Incentivo de empréstimos a mulheres na Costa Rica: Um empréstimo de 15 milhões de dólares ao Banco Improsa permitirá empréstimos a PMEs na Costa Rica, com uma estrutura de taxas de juro que incentiva o banco a emprestar a empresas detidas ou lideradas por mulheres.
  • Prestação de serviços críticos a comunidades desfavorecidas em todo o mundo: Um empréstimo de 15 milhões de dólares à Global Partnerships irá fornecer produtos e serviços que mudam vidas, tais como microfinanciamento, cuidados de saúde e tecnologia em países de baixo rendimento e de baixo-médio rendimento em África, América Latina e Caraíbas, com foco em chegar às mulheres.
  • Reforço da cadeia de valor agrícola na Índia: Um empréstimo de 20 milhões de dólares ajudará a Samunnati a expandir o financiamento e a assistência técnica aos agricultores e empresas de baixos rendimentos em toda a cadeia de valor agrícola da Índia, para que possam aumentar a produtividade, aumentar os seus ganhos e chegar a novos mercados.
  • Ajuda às pequenas empresas mundiais na recuperação do COVID-19: Um empréstimo de 45 milhões de dólares apoiará um fundo de dívida focado em ajudar as PMEs em países de baixo e baixo rendimento, a enfrentar os desafios da COVID-19.
  • Apoio a microempresas com dinheiro móvel no Quénia: Uma garantia de empréstimo de 2,9 milhões de dólares ajudará a 4G Capital a fornecer microempréstimos acessíveis que são desembolsados e reembolsados por empresários e pequenas empresas no Quénia através de uma plataforma bancária móvel.
  • Reforço do crescimento económico numa região subdesenvolvida do Brasil através do investimento em minerais críticos: Um investimento de 25 milhões de dólares permitirá à TechMet Limited aumentar a capacidade de produção de uma mina de cobalto e níquel em Piauí, Brasil, criando empregos num dos estados mais subdesenvolvidos do país, e, ao mesmo tempo, desenvolvendo elevados padrões norte-americanos.
  • Desenvolvimento da indústria de aquacultura do Vietname: Um empréstimo de 11 milhões de dólares permitirá à Australis Aquaculture expandir uma exploração piscícola em águas abertas no Vietname — introduzindo novas tecnologias, ajudando o país a diversificar a sua economia e criando cerca de 400 postos de trabalho locais.
  • Investimento nas mulheres do mundo ao longo da pandemia: Um empréstimo de 20 milhões de dólares ajudará a SEAF COVID-19 Global Gender Lens Emergency Loan Finance LLC a fornecer financiamento crítico às PMEs em todo o mundo que são detidas ou lideradas por mulheres, e que muitas vezes sofrem os impactos desproporcionados de crises como a COVID-19. Espera-se que a maioria dos fundos apoie os mutuários em países de baixo e baixo rendimento em todo o mundo.
  • Aumento da capacidade de produção de energia na Índia: Um empréstimo de 53,5 milhões de dólares à ReNew Power apoiará o desenvolvimento, construção e exploração de uma central solar de 105 megawatts em Gujarat, Índia.
  • Disponibilização de casas a preços acessíveis em El Salvador: Um empréstimo de 10 milhões de dólares ajudará a La Hipotecaria a fornecer hipotecas acessíveis em El Salvador na sequência do surto de COVID-19, que só tem exacerbado o fosso habitacional enfrentado pelas comunidades de baixos rendimentos em todo o mundo.
  • Fornecimento de suprimentos agrícolas essenciais na Zâmbia: 32 milhões de dólares em seguros de risco político apoiarão a expansão da Zâmbia Seed Company, que produz sementes que distribui aos pequenos agricultores da Zâmbia e da África Subsariana.
  • Resolução de uma lacuna financeira na América Latina: Um empréstimo de 20 milhões de dólares ao Locfund Next irá estender o escasso financiamento em moeda local, combinado com assistência técnica a instituições de microfinanças que servem comunidades não abrangidas pelo sistema bancário em toda a América Latina.
  • Empoderamento da comunidade da diáspora na Bósnia-Herzegovina: Uma garantia de carteira de empréstimos de 5,18 milhões de dólares apoiará empréstimos do ProCredit Bank aos MSMEs detidos por familiares da diáspora bósnia ou membros da diáspora bósnia que regressaram recentemente ao país. Estes grupos enfrentam grandes barreiras no acesso ao financiamento devido a limitações de garantias e documentação.
  • Resolução da lacuna do crédito no México: Uma garantia de empréstimo de 14 milhões de dólares permitirá ao Banco Compartamos expandir microempréstimos no México, especialmente para as mulheres, que representam quase 90% da atual carteira de microfinanças do banco.
  • Financiamento de painéis fotovoltaicos em telhados para PMEs na Índia: Com o apoio da Missão Índia da USAID, uma garantia de carteira de empréstimos de 12,5 milhões de dólares ajudará a financiar investimentos feitos por PMEs indianas em soluções de energia renovável, incluindo instalações solares no telhado, permitindo às empresas aceder a energia fiável e reduzir custos.
  • Desenvolvimento de soluções fintech na Colômbia rural: Uma garantia de empréstimo de 9,75 milhões de dólares permitirá à Finsocial expandir a sua plataforma de empréstimos digitais, que serve professores e pensionistas com acesso limitado ao financiamento em áreas rurais e de baixo rendimento da Colômbia.
  • Reforço da produção agrícola na Namíbia: 36 milhões de dólares em seguros de risco político ajudarão a Achill Island Investments a fomentar a sua exploração de uvas de mesa na Namíbia, criando empregos e estimulando a economia local.
  • Injeção de liquidez crítica no sector energético da Índia: Um empréstimo de 75 milhões de dólares à ReNew Power abordará as necessidades de liquidez resultantes do COVID-19, permitindo que projetos energéticos prontos a arrancar avancem em toda a Índia.
  • Resposta às necessidades de financiamento das populações rurais do Equador: Uma garantia de empréstimo de 9,75 milhões de dólares permitirá à Cooperativa de Ahorro y Crédito Jardín Azuayo expandir o financiamento nas zonas rurais do sul do Equador, com foco em chegar a empreendimentos detidos ou liderados por mulheres.
  • Promoção da inclusão financeira no Camboja: Um empréstimo de 50 milhões de dólares à Hattha Kaksekar Limited (HKL) irá expandir o microempréstimo a mulheres e MSMEs no Camboja, especialmente nas zonas rurais do país.
  • Estímulo às empresas em crescimento no México: Um empréstimo de 45 milhões de dólares ajudará a Mexarrend a alargar o financiamento do arrendamento às PMEs no México, permitindo às empresas dos sectores da saúde, do consumidor e da indústria transformadora adquirir ativos que acelerem o crescimento e a produtividade.
  • Estímulo da atividade económica na Ucrânia: Um empréstimo de 27 milhões de dólares apoiará a construção e exploração de um hotel Sheraton em Kiev, Ucrânia, que irá criar empregos, construir cadeias de abastecimento locais e incentivar o comércio, o investimento e o crescimento económico.
  • Ajuda aos carenciados a nível de apoio bancário em El Salvador: Uma garantia de empréstimo de 9,75 milhões de dólares ajudará a Sociedad de Ahorro y Crédito Apoyo Integral a expandir empréstimos hipotecários e outras soluções de crédito a particulares de baixos rendimentos em El Salvador, principalmente em áreas rurais do país.
  • Canalização de capital para empreendimentos altamente impactantes na Índia: Um empréstimo de 15 milhões de dólares ao Sabre Partners Fund e um acordo de coinvestimento de 10 milhões de dólares financiará investimentos em PMEs que estão a introduzir soluções inovadoras em sectores altamente impactantes, como cuidados de saúde, serviços financeiros e tecnologia em toda a Índia.
  • Produção de energia solar na Costa Rica: Um empréstimo de 15 milhões de dólares ajudará a GoSolar a desenvolver, instalar e financiar painéis solares para telhados que fornecerão energia acessível aos proprietários e empresas da Costa Rica.
  • Expansão do acesso das mulheres ao microfinanciamento na Índia: Uma garantia de empréstimo de 14,625 milhões de dólares permitirá à Asirvad expandir o seu portfólio de microfinanças a mulheres rurais e de baixos rendimentos em toda a Índia.

Muitos destes investimentos estão sujeitos a Notificação do Congresso.

### 

A U.S. International Development Finance Corporation (DFC) é o banco de desenvolvimento americano. A DFC associa-se ao sector privado para financiar soluções para os desafios mais críticos que o mundo em desenvolvimento enfrenta atualmente. Investimos em sectores como a energia, os cuidados de saúde, as infraestruturas críticas e a tecnologia. A DFC também fornece financiamento para pequenas empresas e mulheres empresárias, a fim de criar emprego em mercados emergentes. Os investimentos da DFC aderem a elevados padrões e respeitam o ambiente, os direitos humanos e os direitos dos trabalhadores.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.