rss

Proclamação sobre o falecimento de Ruth Bader Ginsburg

English English, Español Español

Casa Branca

Emitido em: 19 de setembro de 2020

Hoje, nossa nação lamenta a perda de uma pioneira não apenas na área jurídica, mas, na história do nosso país.  Ruth Bader Ginsburg serviu ao país por mais de 27 anos como juíza componente da Corte Suprema dos Estados Unidos.  Ela foi uma esposa amorosa para seu esposo Martin, e uma mãe dedicada para seus dois filhos, Jane e James.

Ruth Bader Ginsburg foi uma inspiração para todos os americanos.  Depois de ter perdido sua irmã mais velha e sua mãe antes de concluir o ensino médio, ela ingressou na faculdade de Direito, como ambas, esposa e mãe, e uma das poucas mulheres em sua turma.  Depois de se graduar da faculdade de Direito em 1959, ela trabalhou incansavelmente por mais de 34 anos como advogada de defesa e jurista e, em 1931, tornou-se a segunda mulher a ingressar na Corte Suprema dos Estados Unidos.  Conhecida por suas divergências vigorosas na Corte Suprema, a Juíza Ginsburg demonstrou, por meio de argumentos poderosos enquanto respeitosos, que a divergência entre as pessoas pode existir, sem imposição de uma postura desagradável entre elas.   O trabalho da Juíza Ginsburg auxiliou na concretização de maior igualdade para as mulheres, na garantia de direitos aos incapacitados, e continuará influenciando nossa nação nas gerações futuras.  Além de sua mente hábil, ela acrescentou talento ao tribunal, com seus colarinhos estilosos e sua calorosa amizade com os colegas, mesmo com os quais frequentemente discordava, mais notadamente com o falecido Juiz Antonin Scalia.

Uma guerreira até o final, a Juíza Ginsburg venceu o câncer e outros prognósticos várias vezes – tudo isso enquanto continuava servindo no tribunal.  O seu compromisso com o Direito e sua absoluta falta de medo perante a morte inspirou incontáveis “RBG” fãs, e ela continuará sendo um modelo de comportamento para incontáveis mulheres juristas.  Seu legado e contribuição para a história americana jamais serão esquecidos.

Como um sinal de respeito à Ruth Bader Ginsburg, Juíza da Corte Suprema dos Estados Unidos, eu, pela autoridade em mim investida pela Constituição e leis dos Estados Unidos da América, inclusive pela seção 7 do título 4 do Código dos Estados Unidos, ordeno que a bandeira dos Estados Unidos seja hasteada a meio-mastro na Casa Branca e em todas as instalações e áreas públicas, em todas as bases e postos militares, e em todas as embarcações navais do governo federal no Distrito de Colúmbia e em todos os Estados Unidos, e em seus territórios e possessões, até o por do sol do dia do sepultamento.  Eu também ordeno que a bandeira seja hasteada a meio-mastro, durante o mesmo período, em todas as embaixadas e postos avançados, escritórios consulares e outras instalações dos Estados Unidos no estrangeiro, inclusive em todas as instalações militares e nas embarcações e postos navais.

AQUI, EM TESTEMUNHO, eu assino este documento, neste décimo oitavo dia do mês de setembro, no ano dois mil e vinte do nosso Senhor, e ducentésimo quadragésimo quinto ano da Independência dos Estados Unidos da América.


Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.
Atualizações de E-mail
Para se inscrever para atualizações ou acessar suas preferências de assinante, digite abaixo suas informações de contato.